Edição online quinzenal
 
Terça-feira 25 de Janeiro de 2022  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 
DOSSIERS

Os verdadeiros acontecimentos económicos e financeiros que mudaram as vidas das pessoas nos últimos tempos, relatados e analisados por especialistas.

 
O MILAGRE DA COVID NA ARGENTINA

21-01-2022 Autor: Joseph E. Stiglitz

Ao contrário dos Estados Unidos, que poderiam gastar um quarto de seu PIB protegendo sua economia das consequências do COVID-19, a Argentina entrou na pandemia com o baralho empilhado contra ela.
O GRADUALISMO INTELIGENTE DO BCE

07-01-2022 Autor: Melvyn B. Krauss

Ao contrário do Federal Reserve dos EUA, o Banco Central Europeu não tem respaldo fiscal e deve se preocupar com a coesão da zona do euro, além do risco de inflação. Dadas essas condições políticas complexas, a abordagem cuidadosa da presidente do BCE, Christine Lagarde,
A GRANDE SACUDIDELA NO MERCADO DE TRABALHO

24-12-2021 Autor: J. Bradford Delong

Aproximadamente 13% dos empregos de baixa remuneração na Alemanha não seriam viáveis se os trabalhadores entendessem como suas opções externas são boas de fato. Essa é a conclusão de um artigo recente de Benjamin Schoefer, colega meu aqui na Universidade da Califórnia (Berkeley), e de seus co-autores, Simon Jäger, Christopher Roth e Nina Roussille.
COMO REPARAR AS FINANÇAS CLIMÁTICAS

10-12-2021 Autor: Jeffrey D. Sachs

A Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima em Glasgow (COP26) ficou muito aquém do que seria necessário para um planeta seguro, principalmente devido à mesma falta de confiança que tem afectado as negociações climáticas globais por quase três décadas.
A Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP26), realizada em Glasgow, marcou uma grande mudança na ênfase das responsabilidades dos governos para o poder do sector privado. Se os governos nacionais não conseguem encontrar uma maneira de conciliar seus interesses com o compromisso com a acção colectiva,
VOLTAR PARA A AUSTERIDADE?

12-11-2021 Autor: Harold James

Para cada explosão de euforia sobre o potencial dos gastos do governo, há uma reversão inevitável para a consolidação fiscal e restrições mais rígidas. Se o público está exigindo uma expansão do estado, a tarefa dos formuladores de políticas é determinar não quanto gastar, mas a melhor maneira de gastá-lo enquanto durar a oportunidade.
Dividido entre o nervosismo inflacionário e o medo da deflação, os banqueiros centrais das principais economias avançadas estão adoptando uma abordagem potencialmente cara de esperar para ver. Somente um repensar progressivo de suas ferramentas e objectivos pode ajudá-los a desempenhar um papel pós-pandémico socialmente útil.
A VINGANÇA DO ABASTECIMENTO

29-10-2021 Autor: John H. Cochrane

Os formuladores de políticas não deveriam ter sido apanhados de surpresa pela alta dos preços e pela escassez de bens e mão-de-obra. Praticamente toda a agenda pós-pandemia é construída em torno de políticas que estimulam a procura e desencorajam o trabalho, tornando as restrições do lado da oferta inteiramente previsíveis.
UM NOVO CONSENSO ECONÓMICO GLOBAL

22-10-2021 Autor: Mariana Mazzucato

O Consenso de Washington está chegando ao fim. Em um relatório divulgado esta semana, o Grupo de Especialistas do G7 em Resiliência Económica (onde eu represento a Itália) pede uma relação radicalmente diferente entre os sectores público e privado para criar uma economia sustentável, equitativa e resiliente.
Desde o início de 2020, os bancos centrais das economias avançadas tiveram de escolher entre tentar obter a estabilidade financeira, a inflação baixa (normalmente 2%) ou a actividade económica real. Sem excepção, optaram pela estabilidade financeira, seguida da actividade económica real, com a inflação por último.
Next Last

 

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome