Edição online quinzenal
 
Sexta-feira 1 de Março de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

EUTANASIA, UM DIREITO HUMANO?

21-02-2020 - José Janeiro

Sim, sou a favor da Eutanásia! Posto isto, decidi recolher o máximo de opiniões passiveis para vos explicar de forma construtiva porque penso assim, no percurso demonstrarei toda a estupidez, com que alguns grupos sem argumentos, têm poluído as redes sociais para justificar o que não conseguem expor numa saudável discussão de ideias .

Os que são contra, argumentam com três grandes linhas de opinião: o direito á vida por questões religiosas, o direito á dignidade e o amor pelo próximo e o direito a cuidados paliativos que evitem o desejo de morte, basicamente os grandes argumentos rondam estes vectores de discussão.

Na verdade, o que impede as pessoas de serem favoráveis á possibilidade de decisão INDIVIDUAL, sobre o seu grau de sofrimento físico e psicológico, tem na sua génese explicações de índole religiosa de preservação da vida, por ela pertencer a um qualquer ser mitológico a que chamam deus. Esses que assim pensam, por norma ajem por consideraram existir uma lei de deus que diz que a vida pertence a esse ser e apenas ele a pode tirar, sendo o sofrimento um acto de dignidade e grandeza de louvor a esse tal deus. Não sei, e apenas referindo-me ás religiões que cometem e cometeram atrocidades, dizia, não sei aonde está esse deus e porque fizeram tábua rasa dessa mesma lei durante a inquisição, ou durante actos de terror.

Quanto á dignidade de sofrer para morrer é de um sadismo atroz, impedir que o “sofredor” decida sobre o que pretende para si próprio, se existe esse tal deus, sinceramente não acredito que possa ter tal sadismo sobre a sua hipotética criação, via barro e costela. Estamos perante um acto de fanatismo exacerbado.

E resta-nos a explicação medica dos cuidados paliativos e da evolução da ciência, aqui sabemos bem que a dor física é totalmente distinta da dor psicológica e a dor psicológica não se consegue medir e dificilmente pode ser sinonimo de tranquilidade emocional. E para a dor psicológica e traumática não há qualquer paliativo disponível no mercado.

Entretanto as redes sociais foram inundadas de disparates inqualificáveis que têm como objectivo criar o pânico para um acto medico, passível de haver objecção de consciência, vejamos alguns que por serem tão ridículos merecem a vossa atenção e quiçá o vosso repudio:

E quem não se lembra da alarvidade do “ por favor não matem os velhinhos”:

Tudo serve para criar o pânico e fazerem valer os seus intentos. Houve uma manifestação no Porto que contou com uns quantos, dizem 150 pessoas, que se manifestaram contra a eutanásia, gostaria de ter perguntado aquela gente 3 coisas:

1º Se passei alguma procuração a alguém para interferir no meu desejo enquanto ser humano e sobre a decisão da minha vida em sofrimento?

2º Alguém consegue medir o meu sofrimento sem o estar a viver?

3º Leram os projectos de lei em discussão? Ou só ouviram o padre?

Pois bem, veja-se aqui no corpo do artigo, todos os projectos de lei: https://sicnoticias.pt/especiais/eutanasia/2020-02-17-A-pergunta-da-semana-concorda-com-a-eutanasia-, talvez assim consigam estar informados sem dizerem disparates.

Sim sou a favor da eutanásia na sua forma de suicido assistido, por vontade do próprio em situações que se comprovem de extremo sofrimento e irreversível, a eutanásia NÃO É OBRIGATORIA, seus néscios, é uma opção e um direito humano, tal como outros direitos adquiridos e que não ficaram obrigatórios.

As vossas razões não podem ser por motivos religiosos, porque isso é a fé de cada um e os outros nada têm a ver com isso; não podem ter razões de defesa da vida, porque a vida é propriedade do próprio e não de terceiros; não pode ter argumentos de dignidade na morte, quando essa morte em sofrimento se torna indigna; não pode ter argumentos de cuidados paliativos porque o próprio é que sabe qual o seu grau de sofrimento e o que acha ser uma vida digna, ninguém se pode substituir a essa analise pessoal; não pode haver argumentos de imposição aos médicos essa responsabilidade, porque para isso há a objecção de consciência.

Para colmatar todos os vossos medos e anseios têm a opção de fazerem o TESTAMENTO VITAL, aonde podem expressar o vosso desejo sobre a vossa vida e lembrem-se é tão valido o não como o sim, pois é o vosso desejo, aqui o link: http://www.arsalentejo.min-saude.pt/arsalentejo/novidades/Documents/Rentev_form_v0.3.8.pdf assim acabam os vossos medos insanos! Em simultâneo, espero que declarem também a possibilidade de recolha de orgãos para que outros vivam, pois para onde vão seja céu ou inferno, por lá não vos fazem falta.

Até para a semana.

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome