Edição online semanal
 
Quinta-feira 20 de Fevereiro de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

CALE-SE SENHORA

14-02-2020 - Armando Alves

- Não sou de boatos, mas diz que o filho da irmã da senhora que faz limpezas na casa do ex-marido da dona Arminda, anda metida com a prima em segundo grau do homenzinho do café onde costuma ir o Aurélio. Mas não contes a ninguém, ou conta mas não digas que fui eu que disse, ou diz mas diz que eu não queria que dissesses. E que tiveste de me arrancar a ferros que eu cá sou um túmulo! Nem com os meus botões falo! Porque eu não julgo os outros, cada um faz o que quer com a sua vida, agora que não está certo, ai isso lhe garanto que não está! Deviam meter o nariz atrás das portas, sempre metidas aqui e ali a opinar no que não devem, ainda no outro dia fui a casa da vizinha Madalena que tinha a roupa toda por passar! Acha isto bem? andar aí o marido todo amarrotado, parece um gandulo, mas eu cá não julgo. Quer ser desleixada, pois está à vontade para o ser.

Eu cá, vejo e calo-me, nem me chega a sair da boca! Não é como a Dona Natália que lhe contei que vi o padre de volta da menina que entrega o pão e ela foi logo meter nos ouvidos dele, grande velhaca. E agora o homem não me houve no confessionário, diz que sou regateira e que invento. E eu que adoro o confessionário que uma pessoa passa-se lá uma tarde bem agradável a desabafar estas coisas que me apoquentam. Não gosto nada de tagarelas, que falam, falam, falam e parece que não têm ponta de corno para dizer, é só barulho. E vá não vêm nada, sabem lá se é o filho da Manuela se é um bengaleiro, não se pode confiar numa fofoca.

Não é por mim, que eu detesto mexeriquices. Cada um tem direito a fazer o que bem entender atrás da porta, menos a vizinha Gabriela, que mete lá os velhos todos a jogar ao bingo. A dinheiro! Que eu ouço as moedas a baterem para lá e para cá. Cada vez que vai comprar pão, quase que lhe cai o porta-moedas com o peso. Porra, que você está calado como os do primeiro direito, que dali não se sabe nada, parece um cemitério. Nem com o copo encostado à porta. 

- Como lhe disse, isto é um assalto, minha senhora.

Armando Alves

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome