Edição online semanal
 
Domingo 7 de Junho de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

OS MEANDROS DA POLITICA

07-02-2020 - Henrique Pratas

O País assistiu no espaço de uma semana à eleição dos corpos diretivos de dois partidos políticos e uma vez mais veio há tona que as pessoas que integram estes partidos só lá estão por interesses pessoais.

Eu, escrevo isto pelas manobras de bastidores que ocorreram nos mesmos, apesar de ser ofenderem nas alocuções que fizeram sempre ficaram há espreita de uma oportunidade dentro de uma ou de outra lista, sendo que o mais certo era fazerem parte de todas as listas existentes, porque desta forma teriam o seu lugarzinho garantido, tudo isto é lamentável e perfeitamente ilustrativo dos políticos que se candidatam a serem nossos governantes, a realidade é esta é esta “gente” que temos para nos Des) Governar, quer queiramos quer não é muito mau, mas é a realidade.

Na minha opinião não sei quando mas estes partidos políticos vão desaparecer do espectro politico partidário existente, porque deixam de fazer sentido e vão surgindo novos partidos políticos que têm um discurso mais afável e direto aos cidadãos eleitores, não quero dizer com isto que sejam diferentes, não provavelmente serão piores, só que dizem muito mais às pessoas que o atual espetro político existente.

Por outro lado as pessoas estão cada vez mais afastadas da política, querem lá saber o que querem é que o dinheiro chegue ao final do mês e que não as chateiem.

Os atuais partidos políticos ainda não se aperceberam que têm que mudar o paradigma da sua atuação é que se não deram conta a sua forma de estar já é assim há mais de 40 anos, a sociedade muda assim como as pessoas e há que adequar a forma de agir, de atuar e apresentar as suas linhas programáticas de outra forma, será que isto é assim tão difícil de entender.

Como diria o ex-presidente da República, Américo Tomás, estamos numa fase que é a “ evolução na continuidade” e há que mudar esta estagnação ser mais proactivo e não esperar que as coisas lhe caem do céu.

A propósito disto dou-vos o exemplo da China, que face há epidemia ou surto de gripe que está a ocorrer decidiram construir um Hospital em 7 ou 10 dias e podem-se ver retroescavadoras a funcionarem à força toda, para alcançar este objetivo, se fosse cá levaria pelo menos um ano e mais outro para ser inaugurado.

Estamos destinados a este fadar porque assim o queremos, calamo-nos, encolhemo-nos, não dizemos nada e andamos acabrunhados há espera que alguma coisa de novo aconteça, porque se não acontecer também não faz diferença, foi este o ponto a que chegámos.

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome