Edição online semanal
 
Domingo 7 de Junho de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

O QUE SE PAGA AOS JOGADORES DE FUTEBOL

03-01-2020 - Henrique Pratas

Já devem ter ouvido ou lido comentários e informação sobre o que é pago aos jogadores de futebol e na maior, senão na generalidade dos casos o que lhes é pago comparando com que os trabalhadores auferem neste País é um escândalo e no meu entender não faz sentido nenhum, tanto mais que somos um País que se encontra numa situação de crise financeira.

A pergunta fica onde é que os clubes de futebol vão arranjar tanto dinheiro para lhes poder pagar os salários, das quotas não é, dos bilhetes vendidos dos jogos também não, porque este mal dá para pagar a luz quando esta é utilizada, das transações que fazem de jogadores também não, quanto muito amortizará a atividade de toda uma estrutura de um clube mas a dúvida persiste de onde virá o dinheiro para cobrir as despesas inerentes a possuir uma equipa de futebol. Eu sei que existem mecenas mas não serão assim tantos para cobrir os altos vencimentos que são pagos aos jogadores de futebol, o merchandeizing nos clubes de grande dimensão que tenham nas suas fileiras ainda dará um contributo, mas somando tudo e vendo as coisas do lado de fora acho que a manta é curta.

De onde virá tanto dinheiro, este é o mistério. Sei que os clubes que estão envolvidos nas provas da FIFA ou da UEFA recebem uns prémios consoante os resultados que obtêm, mas pensando nos clubes que existem cá no burgo, ultimamente estas “potenciais” receitas não chegam a meu ver para cobrir as despesas.

Eu em conversa com algumas pessoas já partilhei que gostava de “estar” algum tempo num grande clube europeu para poder ver ao vivo como é que se verificam estas movimentações financeiras, devem ter o seu quê de interessante, mas como esse acesso não é fácil, ficaremos por aqui e continuaremos na dúvida de onde virá tanto dinheiro?

No que concerne aos valores que são pagos aos jogadores os mesmos não são consentâneos com a realidade do País, como escrevi anteriormente estabelecendo uma comparação com que um trabalhador ganha uma vida inteira, os vencimentos auferidos por este último, ficam muito aquém do que os futebolistas recebem.

Existe ainda uma hipótese remota de o Governo estar a financiar os clubes, coisa que não se me afigura plausível porque se andamos a cortar nas despesas consideradas essenciais, como a Saúde, Educação, Habitação, desenvolvimento das infraestruturas necessárias ao desenvolvimento do País, não me faz nenhum sentido que sejam canalizadas verbas para os clubes de futebol, mas poderá haver por este último um interesse em que as pessoas se deixem “alinear” pelo fenómeno futebolístico, obviamente que é uma mera hipótese, mas quem se lembra isto já aconteceu no passado. No caso dos jogos de futebol, são espetáculos que levam alguns espetadores aos jogos, particularmente os sócios nos dias em que estes não têm que comprar bilhete, mas mesmo assim a dúvida subsiste de onde vem tanto dinheiro?

Existem alguns patrocinadores que através dos períodos de fidelização que impõem aos seus clientes “investem” nos clubes de futebol, o dinheiro que é retido aos seus clientes através de uma cláusula que considero perfeitamente descabido e sem sentido nenhum, mas as coisas são assim, não há ninguém que esteja interessado em alterar este estado de coisas e assim continuaremos até que alguém da União Europeia decida olhar para esta prática e a considere “ilegal” à luz do mercado de livre concorrência. Todos sabemos que os preços e as práticas da prestação de serviços das operadoras não diferem nada e que são concertados entre elas, mas uma vez mais ninguém faz nada, porque os clientes têm pouca capacidade negocial e estão completamente de mãos amarradas a qualquer de uma das operadoras, que prestam serviços de qualidade duvidosa, mas que os clientes se quiserem ter televisão, telemóvel e internet têm que pagar.

Depois desta divagação para tentar arranjar uma justificação para que os clubes de futebol movimentam tanto dinheiro, ela não surge.

Lembro-me agora que ao nível internacional existem em certos Países empresas que financiam os clubes de futebol, mas só o fazem na medida dos proveitos que têm e não o fazem impunemente, porque colocam lá dinheiro mas querem ter o seu retorno do investimento que fazem, não brincam em serviço e quando não conseguem obter esse retorno do investimento que fazem saem fora, por isso, também não será esta a resposta que procuramos.

Ouvimos que várias práticas existentes na economia paralela que “alimenta” este tipo de espetáculo, mas que se saiba até há presente data não se conseguiu provar nada e nós vamos ficar sempre com a eterna dúvida de onde virá tanto dinheiro?

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome