Edição online semanal
 
Sexta-feira 20 de Setembro de 2019  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

UM DIA DE ELEIÇÕES

31-05-2019 - Francisco Pereira

A dominical e bastante solarenga manhã do dia das eleições para o parlamento europeu, prenunciava um dia fantástico de calor, convidando a actividades bem mais lúdicas do que o dever de cidadania de ir votar, conforme escrevi no artigo anterior, a benesse meteorológica foi meio caminho andado para a pavorosa abstenção, a qualidade miserável das candidaturas, o cansaço e desencanto de um povo massacrado e o seu inefável analfabetismo político fez o resto.

Fui convidado para uma mesa de voto porque havia falta de gente, lá fui, porque sabe muito bem não ir trabalhar na segunda-feira a seguir e os 50 Euros, que hei-de receber lá para Dezembro também fazem jeito, porque o meu miserável salário de 670 agradece, além disso é sempre uma ocasião para me divertir imenso, para ver amigos que não vejo há canos e infelizmente também para dar de caras com gentalha que eu até pagava para não ver, mas enfim, não vou estragar isto.

A maioria dos membros da mesa em que fiquei a desempenhar funções eram gente oriunda dos partidos, um picuinhas bloquista, um aparatchik socialista, um beto popular, uma comuna e mais outro socialista, restando eu e outra colega funcionária, que fomos para lá essencialmente para termos uma folga e ganhar 50 paus, o que é muito pouco para aturar 12 horas desta seca.

Diverti-me imenso com as conversas sobre percentagens dos vários aparactchiks dos partidos, sendo que o camarada bloqueiro foi o único que se manteve mais ou menos circunspecto sem revelar grandes estados de alma, excepto quando propositadamente lhe disse que os candidatos na minha humilde opinião eram de uma qualidade absolutamente miserável, aí caiu um pouco a máscara e o homem sentiu-se, arregalou os olhos dizendo-me visivelmente agastado.

- Sobre isso não me pronuncio – pois claro que não, iria revelar o que eu de antemão sabia, a sua cor política, não que isso me interessasse mas divirto-me muito com esta rapaziada que não consegue sair da caixa ideológica que lhes condiciona os neurónios, ao longo do dia fui soltando larachas propositadas sobre os partidos dos outros e foi ver a comunista, o socialista e o popular sempre a caírem no engodo, reagindo sempre a cada um dos meus, aparentemente inocentes, dichotes, o que eu me divirto com esta rapaziada.

Não há nada de mais divertido em dias de actos eleitorais que observar a fauna partideira, desde os sempre circunspectos camaradas do PS e do PSD aos patetas dos comunas que andam o dia inteiro de mesa em mesa a fazer contas e a mandar mensagens, apenas para chegarem ao fim e perceberem que levaram mais uma abada, divirto-me imenso com isto, ver esta rapaziada patética a deambular pelo exterior das assembleias de voto, divirto-me com os seus ares conspirativos, sinceramente não sei como são os actos eleitorais aí nas vossas terras, mas aqui onde resido é de morrer a rir, olhar, para toda esta corja partidária, mais se parecendo com hienas a rondar o cadáver pútrido a branquear os olhos ao Sol tórrido da savana, diverte-me muito, que horda de palhaços patéticos!

Finalmente soaram as 19 horas, fechou-se a porta, contaram-se os 300 e poucos votos, assinaram-se uns papeis e 40 minutos depois saí de lá em passo acelerado, ainda fazia um Sol extraordinário e os passarinhos trinavam, os que entretanto não morreram envenenados pela agricultura assassina que hoje temos por aqui, saí desejando a todos uma boa semana e igual sorte. Devia ter-lhes igualmente agradecido o facto de me terem propiciarem tantas horas de divertimento, havendo alturas em que eu tive de suster as gargalhadas para que não percebessem que estava a gozar com a cara deles, na verdade sinto dó pelas suas “ideologias” medíocres e pela sua partidarite pateta, mas enfim, eu estava ali para ficar um dia de folga e ganhar 50 paus, isso é que interessa, o pior foi que com isso tudo me esqueci de votar, ele haverá por aí pior imbecil abstencionista do que eu, não deve haver com certeza!

P.S. – Como previsto, e contrariamente às comemorações cretinas que para aí se fizeram nomeadamente o PS, ninguém ganhou estas eleições, a fasquia de 69% de abstenção fez da Abstenção, novamente, a grande vencedora deste acto eleitoral, isto devia ter feiro corar de vergonha os politiqueiros medíocres, mas não. Espero pelas legislativas para me rir mais.

Francisco Pereira

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome