Edição online semanal
 
Domingo 20 de Maio de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Rui Rio venceu

19-01-2018 - Joaquim Jorge

Rui Rio venceu com 54,37% dos votos, contra 45,63% de Santana Lopes. Rui Rio venceu no PSD, mas agora tem de convencer os portugueses.

De acordo com os resultados oficiais, Rui Rio contabilizou 22.611 votos, ao passo que Santana Lopes somou 18.974 votos.

Apesar de andarem a pagar a muitos militantes as quotas, inúmeros militantes não foram votar e outros não votaram em quem pagou as quotas. Dos 70.000 militantes que podiam votar 41.500 militantes exerceram o seu direito de voto. Votaram à volta de 59% e abstiveram-se 41%.

Há várias razões para que acontecesse a vitória de Rui Rio: a sua pessoa; apoios e a imagem.

Pedro Santana Lopes não teve muito tempo para preparar esta candidatura e não estava em condições de recusar apoios, mas o provérbio, “diz-me com quem andas eu dir-te-ei quem és”, foi fatal. É preciso cuidado com quem se anda, porque os nossos companheiros podem-nos prejudicar.

Pedro Santana Lopes é muito melhor e tem mais qualidades que alguns apoios que teve. Em vez, de acrescentar, diminuíram. A isso se deve a sua derrota. As ideias eram boas e inovadoras, mas alguns apoios eram péssimos. A maioria dos apoios estavam conotados com o aparelho do partido e que esteve na génese da maior derrota do PSD em autárquicas. Os militantes não esqueceram isso.

Por exemplo, o actual presidente da distrital do Porto, Bragança Fernandes (escolhido por Marco António), responsável pela maior derrota que há memória do PSD nestas autárquicas, que inviabilizou a candidatura de Joaquim Jorge em Matosinhos, tendo uns míseros 10% - apoiava Pedro Santana Lopes. Foi edil na Maia até há pouco tempo, local onde Santana encerrou a campanha, todavia Rui Rio venceu na Maia. Em Matosinhos também venceu Rui Rio.

Para complementar este raciocínio, na distrital do Porto, onde impera a influência de Marco António (que nunca apareceu, mas tendia para Santana), o resultado foi o seguinte: 4751 votos em Rio e 3311 em Santana. Na realidade, Rio venceu em 16 das 18 concelhias portuenses - para Santana apenas caíram Lousada e Trofa.

Apesar de eu ter sido parte interessada neste processo pífio e ínvio nada me move contra ninguém, mas é um exemplo paradigmático de quem apoiava Pedro Santana Lopes – derrotados que lutavam por interposta pessoa (Santana Lopes) para sobreviver e para manter os seus lugares. Como este caso há inúmeros.

Pedro Santana Lopes perdeu, mas caiu de pé e fez tremer Rui Rio no 1.ºdebate, fazendo sonhar muita gente e levou ao suspense desta disputa até ao fim. Mas depois falta o resto: a sua imagem estava estafada e desgastada.

Por vezes é preciso não aparecer e estar na sombra, não se pode estar sempre em bicos de pés. Rui Rio preparou a sua candidatura há imenso tempo com pragmatismo e procurando rodear-se com gente fora do aparelho do PSD. Todavia, se quiser ganhar o país tem que expurgar o partido de figuras que nada mais fizeram do que viver do PSD. Precisa de se rodear de pessoas que dêem alguma coisa ao PSD e que os portugueses percebam esses sinais e acreditem nessa mudança.

Biólogo, fundador do Clube dos Pensadores

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome