Edição online semanal
 
Domingo 25 de Fevereiro de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Depois de casa roubada trancas na porta

15-12-2017 - Henrique Pratas

“Raríssimas”, Vieira da Silva manda auditar contas que aprovou.

As contas de 2016 foram aprovadas por unanimidade o atual Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, estava na assembleia-geral.

O ministro Vieira da Silva esteve na assembleia-geral da Raríssimas que aprovou as contas que agora mandou auditar.

De acordo com o “Expresso”, o agora ministro da Segurança Social esteve na reunião um dia antes de tomar posse, a 26 de Novembro de 2015.

Na ata, a que o jornal teve acesso, as contas para 2016 foram aprovadas por unanimidade.

Esta quarta-feira, Vieira da Silva afirmou que como vice-presidente da assembleia-geral da Raríssimas tinha conhecimento das contas, uma vez que eram aprovadas nas reuniões, mas sublinhou que nunca ninguém levantou dúvidas.

O ministro anunciou que iria mandar fazer uma auditoria às contas.

O Partido Socialista mais uma vez demonstra que não tem programa ou ideologia politica, são movidos apenas por interesses superiores que não controlam porque não o podem fazer, devido ao facto de estarem enleados em muitos dos processos que não poderiam ter acontecido.

Mário Soares, quer estivéssemos de acordo com ele ou não, ele era um estadista e não cometia os erros de palmatória que o Partido Socialista está a cometer.

Na minha opinião o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, também já deveria ter colocado o seu lugar à disposição, não é que isso resolva qualquer tipo de questão, mas por motivos de sobra ele deveria tomar esse passo porque não conseguiu e foram muitos os anos que esteve à frente do Ministério que tutela, criar uma estrutura impoluta, credível e sem rabos-de-palha, este Ministério tem muitas fragilidades, uma das quais é a transparência e a prestação de contas. Se, se analisar o estrutura orgânica do referido Ministério e a comparar-mos com as funções que são exercidas notamos que existe muita falta de profissionalismo e de seriedade, ou de honestidade se quiserem, quando na minha opinião deveria ser um Ministério exemplar, mas está visto que não o é e não o é apenas por ter vindo a lume este caso da “Raríssima” é porque de facto o que se passa naquele Ministério é de bradar aos céus.

Não foi por acaso que o Primeiro-Ministro indigitado, escolheu Vieira da Silva, para estar à frente do mesmo, mas uma coisa eu lhes posso escrever se este Ministro cair o resto do Governo vai atrás, porque perde a credibilidade toda se é que alguém já não põe em causa isso, aliás Carlos César sobre o caso afirmou que o secretário de estado da saúde já se devia ter demitido mais cedo, invocando as causas que o levaram a apresentar a demissão.

Um Governo que tinha todas as condições para catapultar o Partido Socialista, para um nível superior o mesmo recusa esta possibilidade comento erros crassos, atrás de erros e não há meio de aprenderem.

De louvar foi a atitude dos partidos que “ajudam” o Partido Socialista a sustentar o Governo, no dia de ontem no Parlamento defenderam-no até às últimas consequências, será que não existem pessoas no PS que vejam isto, é perfeitamente inacreditável a oportunidade que o PS está a desperdiçar, tinha todas as condições para que as coisas dessem certo, não têm uma oposição credível, tem a ajuda dos partidos que “alinharam” com eles para formar Governo e que a toda a hora os defendem no Parlamento das ideias mais “brilhantes” que surgem do PSD e do CDS/PP.

Uma das conclusões que podemos tirar é que o PS, não se quer assumir enquanto partido defensor da social-democracia praticada no norte da europa, por razões que não são de cariz politico partidário, mas sim de interesses pessoais, é perfeitamente lamentável que isto aconteça, mas é o que ressalta aos olhos de todos nós, o que é lhes faltou para terem um bom desempenho ao nível governativo, nada, apenas não se conseguiram unir em torno de objetivos comuns, gizados por alguns socialistas como Manuel Alegre, Mário Soares, António Arnaud, Henrique da Gama Barros, Jorge Campinos, António Lopes Cardoso e outros tantos, uns mais conhecidos do que outros que estiverem na criação do partido socialista, que lhe deram corpo e que passaram maus bocados para que o PS vingasse, será que não existe memória disto, ou ela já não importa o que há que ver são os interesses pessoais.

Dá dó ver darem tantos tiros nos pés e acima de tudo darem oportunidades em barda há oposição que se encontra completamente desmembrada ou em fase disso, mais uma oportunidade perdida, não sei se voltarão a ter mais alguma com este cariz se a tiverem é porque o povo português não tem mais alternativas possíveis.

É lamentável e desnecessário tudo isto…….

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome