Edição online semanal
 
Domingo 20 de Maio de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

O BOMBEIRO

18-04-2014 - João Chamiço

Quando a sirene se solta num brado
E gritos de angustia, que os leva o vento,
O bombeiro, que dorme acordado
Acorre a responder ao chamamento.

Lá dentro do seu peito, lá no fundo,
Há um intenso “fogo” a flamejar,
Que nem a água toda deste mundo
Seria bastante para apagar.

Quando andam no ar cinzas e patranhas
E um rastilho que arde e que devora
As florestas viçosas da nação;

O bombeiro, às escondidas chora
Por tanto esforço dispendido em vão
Os prantos que lhe gastam as entranhas!?

João Chamiço

Existe um negócio dos incêndios?

Ver também: http://www.realidadeoculta.com/incendios.html

Será verdade a versão o ficial de que não há motivações económicas para a maioria dos incêndios?

Será que a maioria das ocorrências se devem a negligência ou ao simples prazer de ver o fogo?

Serão a maioria dos incendiários pessoas mentalmente diminuídas?
será que as tragédias acontecem por acaso?

Será que, sendo o combate a incêndios com meios aéreos totalmente concessionado a privados, ao contrário do que acontece nos outros países europeus mediterrânicos não tem nenhuma relação com o desencadear dos incêndios?

Será que os testemunhos populares sobre o início de incêndios em várias frentes imediatamente após a passagem de aeronaves não passam de alucinações colectivas? Será que já foi devidamente investigada essa versão?

Será que, podendo o Estado Português gastar 700 milhões de euros para comprar dois submarinos e não tem metade dessa verba para comprar uma dúzia de aviões Cannadair de combate a incêndios?

Será que os nossos pilotos da Força Aérea devidamente treinados para combater incêndios passam o Verão entretidos dentro quartéis sem nada fazerem e sem darem a devida utilização do seu saber naquilo para que foram formados ?

Será que os novos helicópteros da Força Aérea Portuguesa deveriam vir equipados para o combate a incêndios e não vêm? E pode o país dar-se a luxos tais ?
Será que a maior parte da madeira usada pelas celuloses para produzir pasta de papel pode ser utilizada após a passagem do fogo sem grandes perdas de qualidade?

Será que perdem dinheiro os madeireiros que pagam um terço do valor aos produtores florestais?. Quem ganha então com o negócio? Será que os madeireiros detidos por suspeita de fogo posto sobretudo na zona Centro, não são senão as vítimas inocentes de erros cometidos pela polícia de investigação?. Será que as autoridades que estranhamente continuam a dizer que não há motivações económicas nos incêndios, acreditam mesmo naquilo que dizem?.. .

Perguntas, perguntas e mais perguntas, para as quais parece haver respostas óbvias que obviamente, não são dadas.

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome