Edição online semanal
 
Quarta-feira 21 de Fevereiro de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

SÍNDROMES OU A ARTE DAS CAVALGADURAS

22-09-2017 - José Janeiro

A nossa sociedade está encarcerada e dominada por um conjunto de doentes mentais, com patologias cada vez mais graves e descontroladas. É preocupante a carga “sindromática” que se manifesta transversalmente nas situações mais estranhas e que os elevam ao Olimpo do ridículo, ainda que os visados pareçam não se aperceber.

Desconheço sinceramente o porquê de tais manifestações públicas de exposição ao ridículo e ao estado do chico espertismo potenciado ao maior grau de estupidez conhecida.

SÍNDROME DO SÔTOR – ENGENHEIRO

Mais um caso de licenciatura por equivalências e não se fez a coisa por pouco: 90% dos créditos universitários concedidos com base na experiência profissional. O número mágico das cadeiras a fazer são sempre 4, não sei se por se fazerem 4 cadeiras acrescentam a equivalência de marceneiro ao curriculum. Essa pessoa ocupou assim a liderança da Protecção Civil e viu-se a forma desastrosa como o fez perante a inoperacionalidade das decisões. Dá vontade de lhe dizer: Estudasses meu burro!

O Sôtor da mula ruça, qual Relvas dos tempos actuais, teve equivalências porque sei lá, consegue acender e apagar o fogão lá de casa, isto em “incêndios I”, consegue acender isqueiros para fumar em “Incêndios II” porque consegue tocar a sirene de emergência, talvez em “Toques de emergência II”, ou porque se sente Ambulância quando lhe encavam algo pelo cu acima e ele vai fazendo tinó ni, tinó ni, enquanto repete “tens meia hora para o tirar”, em “Práticas de Emergência”. Sim, revolta-me esta gente que dada à cabulice e ao chico espertismo insulta os demais que passaram anos a formarem-se e continuam em aprendizagens continuadas e que se vêm ultrapassados por ignorantes de cartão partidário e canalhice rasteira.

Esta gentalha não merece o respeito de ninguém, mas se julgam que o homem vai para a fila do desemprego desenganem-se! De certeza que terá em breve outro tacho recheado por uma subvenção qualquer ou por serviços prestados em equivalências, esperemos para ver.

SÍNDROME DO PM ETERNO

Esta é a nova versão do Síndrome de Tourette que se caracteriza por uma desordem neurológica motivada por tiques, repetições automáticas e espasmos descontrolados, falo naturalmente do mui grandioso e inútil PPC, ou Step Rabitt, por quem fui adquirindo um ódio de estimação, tal o grau de estupidez que dali transborda de forma permanente.

Devido ao recente aumento do rating da república pela Standard & Poor’s, diz a abécula que foi o governo dele que contribuiu para tal, que com ele teria sido mais cedo e que o actual PM é sectário e mesquinho em não reconhecer tal façanha atribuída a ele próprio.

Realmente teremos que reconhecer as enormes façanhas do seu legado, que foi o ÚNICO PM da história Portuguesa que entregou o país mais pobre do que o recebeu.

Vejamos algumas façanhas incontornáveis que lhe são atribuídas:

Criação da Universidade de Coimbra pelo ministro Miguel Relvas por equivalências em copofonia e malabarismos;

Descoberta do caminho marítimo para a Índia por submarino pelo ministro Paulo Portas que encontrou lá um indiano que por pena o trouxe para Portugal e atribuíram-lhe o grau de “novo PM”;

Primeiros contactos de “Prestes” Miguel Macedo com a China tendo-lhe sido atribuído o grau “gold “em vistos por serviços prestados;

Mestre ourives destruidor de sonhos e dos bens da República, grau “burro que nem uma porta”, vendendo os anéis e jóias do estado por interesses obscuros;

Mestre financeiro de relevo em Swaps, Tecnoforma, e recuperação de bancos, sendo-lhe atribuído o grau de “bobo da corte da União Europeia”;

Estou preocupado porque parece que teremos que reescrever a história pois há quem diga que ter-lhe-ão sido atribuídas outras façanhas tais como: a Criação de Portugal, a Conquista de Lisboa aos mouros e a Reconstrução de Lisboa em 1775, tudo erradamente atribuído a outros. Está em investigação ainda a possibilidade de Egas Moniz, o “nosso” prémio Nobel, ter-lhe feito a primeira lobotomia elevando-o assim ao nível mais alto da criação como Hominídeo. O mais grave no meio disto é que acabámos de sair do caixote do lixo e este já começa a dizer porcarias.

SÍNDROME KIM JONG-UN (SÓ FALTA O CORTE CABELO)

O líder da Coreia do Norte, o gordinho de corte de cabelo esquisito e sempre rodeado de bajuladores que dão pulinhos e batem palmas perante tão grandiosos feitos do idiota, inspiram os nossos bajuladores nacionais que dão pulinhos e batem palminhas com as notícias que possam agradar ao Kim Jong-Un nacional de cognome PêPê C-Un. Sofrem desse síndrome várias individualidades que vão dando pulinhos e batendo palminhas, sempre que se anuncia uma desgraça diabólica ou outra, são eles o Zé Gomes da SIC, o Camilo Lourenço que sai do manicómio todos os dias para dizer disparates, o anão da SIC e o padreco César das Neves, todos eles comentadeiros de renome e que vão prevendo desgraças nacionais rotativas, qual bomba H do coiso de cabelo estranho. Imagino a azia que por ali vai. Só que a realidade trama-os, é triste a realidade.

SÍNDROME DA MONARQUIA REPUBLICANA

Ainda na sequência do primeiro regime comunista dinástico, a Coreia do Norte, também por cá existem tiques inspiradores semelhantes e dinásticos na política nacional, não bastando só o cartão partidário milagroso, mas acrescentando-se o apelido e os laços de sangue, não importando a cor do sangue, claro.

Saem assim da fila do desemprego e são elevados ao mais alto patamar intelectual aqueles com apelidos sonantes: César, Menezes, Soares, Ulrich e tantos outros nomes dinásticos da política/economia. Famílias inteiras têm o toque de midas da politiquice, desde que provem a sua capacidade de se fingirem de mortos, durante o tempo necessário para a subvençãozita a adquirir.

SÍNDROME DA COISINHA

A coisinha anda por Lisboa convencida da sua importância junto dos votantes. Engraçado, engraçado é a coisinha confessar que tem umas botas e calças de ganga para visitar os bairros mais degradados. A coisinha lá vai debitando coisas e pelo caminho lá pede umas demissões aqui e ali. A coisinha só ainda não pediu a demissão do S. Pedro por falta de chuva, porque quando era Ministra decidiu-se pela reza em vez de gritar demissão do responsável, o conhecido S. Pedro. Nunca pediu a demissão de deus por trovoadas e furacões porque é crente e acha ser um desígnio superior. A coisinha é galinha mas julga-se galo por ter Cristas.

SÍNDROME DA CÓPIA PIRATA

Em defesa do Tony, tenho a dizer que o homem tem razão, porque existem apenas 7 notas musicais que são manifestamente poucas para a sua grandiosa inspiração criativa e como já estão demasiado gastas, vai daí nada mais restava que não seja repetir o que já se conhecia. Não foi por mal, foi por falta de notas musicais suficientes, quem não entende isto é porque é maldoso e não percebe nada de música.

Ficámos a saber que o “autor” como se registava na SPA (nada tinha a ver com massagens), afinal é um “tradutor” que ambiciona ser “cantor” de melodias alheias. Dizem dele ser o rei da música pimba e das sopeiras suspirantes, agora será o rei bimbo-farsolas e da cassete pirata.

Não sou maldizente mas será que os filhos foram copiados, nasceram por geração espontânea ou são fruto da pivia como o outro? Como foi na realidade, não sabemos, mas que também sofrem do mesmo síndrome da cópia pirata parece que sim. Parece ser uma patologia hereditária.

Curem-se dos síndromes e até para a semana

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome