Edição online semanal
 
Terça-feira 22 de Maio de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

CASA DOS PATUDOS EM ALPIARÇA

31-03-2017 - Eduardo Costa

O atentado municipal urbanístico comunista à memória de JOSÉ RELVAS

Tendo-se vangloriado há alguns dias o Sr Presidente da CMA nas redes sociais de uma camarada, em manifesta pré-campanha eleitoral, do (de)mérito de ter derretido 1 milhão e 100 mil euros, na “requalificação” exterior da CASA DOS PATUDOS; tais afirmações inspiraram-me a repor a verdade efectiva (e não eleitoralista) dos factos.

 

Esse dinheiro ao contrário do que transparece por omissão, teve origem esmagadoramente exterior ao município, ainda assim deveria ter tido um emprego criterioso.

Essa intervenção VIOLA os desejos testamentários de JOSÉ RELVAS, segundo os quais, qualquer intervenção no local deveria ser feita pelo seu famoso amigo Arqº Raul Lino, autor do projecto da casa ou, na sua impossibilidade (morte) como no caso, em TOTAL RESPEITO PELA LINHA ARQUITECTÓNICA DO LOCAL E TRAÇA TRADICIONAL PORTUGUESA, que afinal foi VIOLADA.

Vamos então sucintamente descrever esse atentado urbanístico à memoria de JOSÉ RELVAS, que pode ser acompanhado na foto aérea que tirei:

A- Foram substituídos os imponentes 180m de gradeamento frontal mais o portão, por um simples murete escadeado de alvenaria (desconhecendo-se o destino dado à totalidade desse gradeamento e portão).

B- No local desse portão de entrada colocou-se uma rampa com declive que impossibilita a entrada de viaturas, incluindo ambulâncias.

C- Nas traseiras em frente dessa rampa de entrada, colocou-se um imenso muro com cerca de 4 metros de altura, que inviabiliza as imensas vistas de quilómetros sobre a maravilhosa lezíria.

D- Em substituição do bonito JARDIM traseiro (incluindo uma estátua), colocou-se apenas uma terraplanagem em piso tipo "pó de tijolo" de court de ténis.

E- Por último, a "cereja no topo do bolo", a construção do aborto arquitetónico de um pavilhão "multiusos" TODO BRANCO incluindo telhado, à revelia dos desejos testamentais de José Relvas, quando existia um projecto (chumbado) que respeitava esses desejos e se enquadrada na traça arquitetónica do local.

Eduardo Costa

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome