Edição online quinzenal
 
Segunda-feira 6 de Fevereiro de 2023  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Onde estão os neonazis?

01-04-2022 - Francisco Pereira

No número anterior do Notícias de Almeirim, foi publicado, fazendo jus ao respeito pela liberdade de imprensa e democracia que são apanágio deste projecto editorial online, um artigo com o título “ISRAEL ATURDIDO PELOS NEONAZIS UCRANIANOS”, fez-me “cócegas” nas entranhas, depois de ler o seu conteúdo ainda fiquei mais convencido do cheiro a esturro que dali emanava.

Fui assim tentar perceber quem escrevera esse artigo, sendo assinado por um senhor, de seu nome Thierry Meyssan, um jornalista francês, curiosamente a viver em Damasco na Síria, que se especializou em teorias da conspiração mais ou menos rebuscadas, socorrendo-se para isso de um portal da internet de nome “Rede Voltaire” 1 escreve também para um semanário russo de nome Odnako 2em língua russa, foi este último detalhe da vida do senhor Meyssan que me fez olhar para o texto publicado pelo senhor Meyssan e ficar completamente desconfiado, até porque existem mais como ele, mais “arregimentados”, vendidos e rendidos às velhas glórias dos sovietes, basta ver alguns articulistas dos jornais portugueses para se perceber isso, perceber essa nostalgia pelos gulags, purgas, pogroms, deportações e homicídios políticos.

Dito isto, vamos lá então tentar de forma isenta, tentando esclarecer o mais possível dentro da medida do possível, com a exiguidade de meios que possuímos, o que raio se passa aqui. Para início de conversa, existem mais organizações de cariz neonazi e supremacista nos EUA 3 do que na Ucrânia, organizações essas, economicamente mais poderosas e com mais influência política do que aquelas que existem na infeliz Ucrânia, daí eu ter ficado surpreendido com o teor do artigo do senhor Meyssan, será que os israelitas estão igualmente preocupados com essa realidade, ademais que muitas dessas organizações, mercê da política assaz benevolente no que concerne ao uso e porte de arma nos Estados Unidos, representam uma verdadeira e concreta ameaça, curiosamente o senhor Meyssan no seu artigo não faz qualquer referência a este facto.

Maia, na Rússia, onde curiosamente, desde há uns anos, parece ter-se inclusivamente instalado uma ideologia ultranacionalista 4, com tiques fascistas soviéticos, claramente representada no topo da nomenclatura política e governante que actualmente detêm o poder em Moscovo, daí podermos claramente ver ali um regime de cariz fascista, com as particularidades modernas que tal traz implícito, necessariamente diferentes dos “fascismos” do velho século XX, dizia eu, que nessa Rússia contam-se umas nove organizações de cariz neonazi, que operam aparentemente sem grandes entraves por parte das autoridades governamentais, falamos de organizações altamente estruturadas e mortíferas, como atesta uma lista de pessoas a assassinar, onde constam activistas dos direitos humanos, jornalistas e académicos, divulgada em 2009 por um desses grupos 5 é também sem surpresa que não encontramos no artigo do senhor Meyssan, qualquer referência a esta perturbadora realidade, será que os israelitas estão igualmente preocupados com tais factos.

Enquanto isso na Alemanha, a situação é ainda pior, conhecem-se umas duas dezenas de organizações de cariz neonazi, a própria antiga chanceler alemã Angela Merkel, afirmou que os movimentos neonazis na Alemanha deveriam ser combatidos sem pejo algum 6, no mesmo sentido iam por esta altura as declarações do Ministro alemão dos negócios estrangeiros que declarava que na Alemanha existe um problema com o terrorismo de extrema-direita 7, o mesmo ministro fazia referência a cerca de 12 mil pessoas referenciadas como pertencentes a movimentos extremistas de cariz nazi e de extrema direita, no entanto o chefe do Gabinete de Inteligência e Informações do governo estadual da Turíngia declarou mais recentemente, indo mais longe em termos de números, que estão identificadas cerca de 35 mil pessoas 8 por toda a Alemanha, como pertencentes activos a organizações de extrema direita, destes, ainda de acordo com o mesmo funcionário governamental, entre 13 a 14 mil são considerados violentos e propensos a acções violentas. Falamos do país mais poderoso da União Europeia, o dito “motor económico” da Europa.

Mais uma vez não encontrámos no artigo do senhor Meyssan qualquer referência a este facto, que reputamos muito mais perturbador do que aquilo que aparentemente se passará na Ucrânia, será que os israelitas desconhecem resta situação?

Em França onde a situação também não se apresenta muito favorável, o extremismo de Direita, por vezes de filiação neonazi apresenta igualmente um quadro muito preocupante, segundo dados recentes do Ministério do Interior francês, entre 1500 a 2000 pessoas 9 estão identificadas como extremistas violentos, conotados com a extrema direita, além de partidos políticos de índole nacionalista, concorrem às presidenciais que actualmente se disputam em França, vários candidatos cujas propostas políticas se apresentam com um marcado cariz, racista e xenófobo facilmente identificadas com aquelas que defendem as organizações de extrema direita neonazi, de referir que são vários os meios de comunicação 10 que se queixam de receberem ameaças que visam condicionar o exercício de um jornalismo livre.

Mais uma vez no artigo do senhor Meyssan, que sendo francês, não deve seguramente desconhecer esta realidade assaz preocupante, não se encontra referencia alguma a esta realidade francesa, de novo muito mais preocupante que a realidade da Ucrância, afinal falamos de um país charneira da União Europeia, um país detentor de arsenal nuclear, será que os israelitas estão preocupados com França?.

Muitas outras referências, a situações preocupantes de crescimento dos movimentos radicais de extrema Direita nacionalista, skinheads e ou neonazi na Europa, poderia aqui trazer, fazer referência rápida à situação que existe aqui a o lado em Espanha, com cerca de duas dezenas de grupos identificados, a situação do Reino Unido, onde igualmente estão identificadas cerca de duas dezenas de grupos de cariz neonazi e ou de extrema Direita nacionalista.

Este fenómeno afecta de alguma forma países no Mundo inteiro, onde situações muito mais graves do que aquilo que hipoteticamente acontece na Ucrânia despontam um pouco por todo o lado, no entanto nada disso aparece referido no artigo de senhor Meyssan, logo, chego à conclusão que o artigo do senhor Meyssan, não passa de propaganda, orquestrada e paga pelo senhor do Kremlin, é um artigo que não passa de um exercício de absoluta falta de vergonha, de assassinato da verdade, deveria o seu autor ter algum pejo de se intitular “jornalista”, enquadrando-se este nefasto artigo numa campanha orquestrada que claramente visa descredibilizar o governo da Ucrânia e a sua resistência a uma agressão de cariz claramente fascista, isto sem prejuízo de de facto existirem nas fileiras ucranianas grupos de cariz neonazi, facto que ainda está por provar, havendo curiosamente, judeus ucranianos a combater num dos supostos batalhões neonazis, neste caso o batalhão de Azov 11,assim, antes pelo contrário, tendo em conta o modo como actuam, é fácil percebermos onde estão e quem são os verdadeiros “nazis” desta história, os verdadeiros nazis desta história, foram aqueles que atacaram, que atacam e que massacram as pessoas de um país soberano, nazis fascistas são também os seus apoiantes, que tal como o senhor Meyssan, de forma canina fazem eco das mentiras do dono, mas a esses nós conhecemos bem, escondem-se sob a capa de lutadores pela Liberdade e pela Democracia, mas as suas acções tem-nos traído, sabemos bem quem são esses nazis fascistas, criminosos anti Liberdade que tal como o Meyssan, escolheram dar eco aos actos criminosos do seu dono que assassina a Democracia, que trucida a Liberdade eliminando o respeito pelos Direitos Humanos.

Francisco Pereira

Referências:

1 https://www.voltairenet.org/?lang=pt

2 https://odnakoj.ru/

3 https://www.splcenter.org/fighting-hate/extremist-files/ideology/neo-nazi

4 https://www.cidob.org/en/publications/publication_series/notes_internacionals/n1_128_russia_for_
russians/russia_for_russians

5 https://www.splcenter.org/fighting-hate/intelligence-report/2009/russian-neo-nazis-publish-death-list

6 https://www.france24.com/en/20190622-merkel-says-neo-nazis-must-be-tackled-without-taboos

7 https://www.dw.com/en/germany-has-a-terrorism-problem-foreign-minister-says/a-49304364

8 https://www.kpbs.org/news/arts-culture/2021/06/28/frontline-germanys-neo-nazis-far-right

9 https://www.franceinter.fr/societe/ultra-droite-en-france-la-nouvelle-menace-terroriste

10 https://www.francetvinfo.fr/politique/ultradroite-les-reactions-que-suscitent-nos-enquetes-sont-
de-plus-en-plus-brutales-souligne-le-redacteur-en-chef-de-street-press_4849625.html

11 https://www.timesofisrael.com/ukrainian-jews-push-back-against-putins-neo-nazi-claim-as
-they-gear-up-for-battle/

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome