Edição online quinzenal
 
Sexta-feira 12 de Agosto de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

ESTA NOSSA POBRE DEMOCRACIA

05-11-2021 - Francisco Pereira

Começo por dizer que não sou nem militante do PSD nem do CDS, nem de nenhum outro partido, felizmente não pertenço a nenhuma dessas congregações. Fico porém triste ao ver o ponto miserável a que chegou esta nossa Democracia.

Vem esta arenga propósito das lutas intestinas que por estes dias dilaceram as entranhas daquelas duas agremiações políticas, consequentemente dilaceram a Democracia, confesso que tenho dó, que me dão imensa pena além de uma condolência atroz, os militantes, simpatizantes e votantes em tais associações partidárias, porque estão constrangidos a simpatizar, votar e eleger, aquele tipo de rebotalho que ali se digladia sem mais aquela, num patético exemplo de peixeirada do mais baixo nível, nada próprio de partidos políticos de um sistema democrático saudável, o que ali agora vemos é a prova de quão doente está este sistema, de quão doente está a nossa sociedade e por consequência o nosso país.

No PSD, aproveitaram o descalabro do senhor Coelho e das suas políticas de miserabilismo, para empurrarem Rio, que se pôs a jeito diga-se, os tacticistas politiqueiros do PSD disposeram-se a aguardar dias melhores, excepto o palonça do Montenegro que ainda armou ao pingarelho, até que alguém com siso lhe disse para deixar de ser pateta, intuíram então essas “almas negras” que assim que a geringonça vacilasse, e cheirasse a Poder, seria o momento ideal para atacar, até porque Rio, desgastado pela constante guerrilha interna para além da função de oposição, seria presa fácil, vai daí que aparece um Rangel, delfim e herdeiro da tralha “coelhista” neoliberaleira, com o respaldo de el’Rei Marcelo, que detesta Rio, está pois armado o golpe, o assalto aos tachos, com a perspectiva de ganharem eleições, até perdem o tino e desatinam.

Pessoalmente nutro simpatia por Rio, em especial pelo seu sentido de Estado, coisa que Rangel e a sua tropa fandanga nunca saberão o que é, respeito Rio pela determinação e capacidade de procurar compromissos e por ter uma visão ampla da realidade de uma Nação, coisa que Rangel e a sua tropa fandanga nunca saberá, já que procuram apenas o Poder para as traficâncias costumeiras destas podres elites. Tenho por isso muito dó pelos os militantes, simpatizantes e votantes do PSD, Rio foi o mais decente líder que tiveram desde Balsemão, por quem também tenho alguma estima, desde essa altura, de Balsemão, até Rio foi uma longa e penosa sucessão de lixo.

No CDS, partido que reputo a par com o PCP, como supremo exemplo de hipocrisia, aliás, CDS e PCP, são faces da mesma moeda, agremiações políticas miseravelmente hipócritas, mas dizia eu, que no CDS a coisa é mais ou menos idêntica aquilo que se passa no PSD, depois do partido quase ser destruído pela senhora Cristas, criatura arrogante e pateta, ninguém entre os notáveis se quis “queimar” como se diz na gíria, chutaram todos para canto, o senhor Melo andou a passear lá pelas Europas a presumir importância, e quão relativa ela é, mas presunção e água benta é o que se queira como diz o ditado, os outros ditos “notáveis” também submergiram para ver se deles se esqueciam, lá apareceu um puto com ar apatetado que qual pavão inchado com a honra, não se coibiu de assumir a liderança para a qual foi convenientemente empurrado, a prazo claro está, porque os “zorros” estariam atentos para que assim que surgissem as estrelas propícias lhe tirariam o tapete, tal é o que agora sucede, agora que cheira a Poder, que cheira a tachos ministeriais, que cheira a coligação com o PSD para arrancar as rédeas da governança aos “geringonços” do PS, agora lá emergiram, o Melo, o Lima e o resto da tralha, com declarações apopléticas, com encenações dramáticas, até Portas, essa avantesma medíocre não se coíbe de vomitar atoardas.

Tudo isto é tão triste, bem podia ser apenas um Fado, infelizmente assim, não é, a coberto de uma pretensa legitimidade democrática, que no CDS quer no PSD o que se faz são meros golpes de estado pulhas, com motivos de perpetuar a escrocaria politiqueira do costume, que tendo estado arredada dos cofres públicos, quer roubar o poleiro aos esquerdelhos para se banquetearem com as tenças, não esquecendo que como diria o outro o empurra bolas, “vão vir bazucas de dinheiro…”

Miseráveis comportamentos os destas gentes que se acobertam de forma vil e sem qualquer laivo de pudor sob um manto de pretensa Democracia, aliás, cientes que estão da injustiça que cometem, desde o primeiro minuto que quer Rangel quer Melo encheram a boca com a palavra Democracia e seus derivados para justificar as suas pretensões que sabem estar inquinadas pela sabujice pulha. É triste, aqui chegados, continuarmos a assistir a este tipo de pulhices, em política parece que todas as pulhices são válidas, já antes viramos isto acontecer quando Costa apunhalou Seguro, daí transparecendo que nos métodos, diferenças não se lhes conhecem, nem nos objectivos. E mal vamos nós quando para escolher nos dão tais misérias, tais indigentes.

Francisco Pereira

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome