Edição online semanal
 
Quarta-feira 27 de Outubro de 2021  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

“IRRESPONSABILIDADE” SOCIALISTA

06-08-2021 - Francisco Garcia dos Santos

Como é do conhecimento geral, o adjectivo “irresponsável” tem uma conotação negativa, pois, quem o é é tido por alguém que não assume as consequências dos seus actos ou omissões, imprudente, leviano, etc.. Mas na terminologia jurídica “irresponsabilidade” tem sentidos mais restritos, como por exemplo: alguém ser irresponsável por acções ou omissões de outra pessoa; inimputável (não responsabilizável) em termos criminais por ser menor, deficiente ou portador de perturbação mental; por fim, segundo a Constituição da República Portuguesa, não serem os juízes responsabilizáveis disciplinar ou judicialmente pelas consequências das suas decisões no normal exercício da respectiva função de julgador.

Vem isto a propósito das contradições -para não dizer mentiras- e “sacudir a água do capote” por parte do Ministro da Administração Interna (MAI) Eduardo Cabrita, doPresidente da Câmara Municipal de Lisboa (PCML) Fernando Medina e, por fim, como se constatou no último debate em plenário da Assembleia da República sobre o “estado da Nação”, do próprio Primeiro-ministro (PM) António Costa relativamente à celebraçãopública por muitos milhares de pessoas (e graves incidentes) em Lisboa na sequência da vitória do Sporting Clube de Portugal do Campeonato da 1ª Liga de Futebol profissional.

Quem não se recorda de “directos” das tvsmostrando os magotes de adeptos “leoninos” junto ao Estádio de Alvalade para verem o jogo em ecrã gigante, dos confrontos que logo ali ocorreram com o efectivo da PSP e depois ao longo do percurso do autocarro que transportou a equipa sportinguista desde aí até à Praça (Rotunda) do Marquês de Pombal e regresso ao mesmo -Praça essa onde ocorreram os mais graves incidentes, com cargas policiais e tiros de balas de borracha para conter a multidão, não obstante, ao tempo, vigorarem normas altamente restrictivas de aglomerações de pessoas e de consumo de bebidas alcoólicas na via pública?

Como já é mais do que costume -diria mesmo tradição!- o MAI Cabrita, á semelhança do que sucedeu com outros “incidentes” ou “acidentes” do seu percurso governativo, ordenou um “inquérito” -foi assim com o “caso” das “golas anti-fogo” inflamáveis para os bombeiros, a morte do cidadão ucraniano Ihor nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa, do “cerco sanitário” anti-Covid em Odmira com “assalto nocturno” pela Guarda Nacional Republicana (GNR) de residências privadas para nelas instalar trabalhadores imigrantes asiáticos à margem, ou melhor, contra a própria Constituição da República;a mentira sobre o acidente mortal na A-6 em Estremoz com o automóvel em que viajava, tendo o MAI comunicado publicamente que não havia sinalização de obras na via, o que foi imediata eperemptoriamente desmentido pela concessionária BRISA -o caso está a ser, ou foi, investigado pelo Destacamento de Acidentes de Trânsito da GNR de Évora sob direcção do Ministério Público (MP)-, etc.. Porém, o que mais espanta são duas situações em que três socialistas, um deles PM, António Costa, ou “chutam” as “culpas” entre si, ou então dizem nada saber.

Vejamos:

O Relatório do inquérito da Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) sobre os festejos e incidentes nas comemorações do Sporting revelou que após o MAI Cabrita ter dito nada a ver com o assunto, o mesmo proferiu -e contra parecer do próprioDirector Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP)- Despacho autorizando tais festejos e da forma como ocorreram; o PCML Medina, também na esfera da sua competência, secundou a atitude do MAI Cabrita; depois de tal inquérito da IGAI atribuir culpas ao PCML Medina, este devolveu as mesma ao seu camarada MAI Cabrita; por fim, instado pela deputada do CDS Cecília Meireles sobre se sabia antecipadamente ou não do dito Despacho do seu Ministro, o PM António Costa negou categoricamente na Assembleia da República qualquer conhecimento prévio sobre o mesmo.

Mas como se isto tudo não bastasse, alguém muito próximo do PCML Medina, contrariando a Lei e o mais elementar bom senso, forneceu exaustivos dados pessoais de organizadores de concentrações e manifestações de protesto contra Governos de ouros Estados, os quais eram visados pelas mesmas, copiando, mas a uma escala muito mais grave, a “bufaria pidesca” -parece que, neste caso, oMPinstaurou um inquérito criminal.

Sobre todos estes “casos”, quais juízes irresponsáveis no sentido supra referido, os dirigentes socialistas são incapazes de assumir a mínima responsabilidade relativamente aos seus actos e omissões, ainda que dos mesmos possa resultar dano físico (doença ou morte) ou material a terceiros, os quais, supostamente, deviam ser protegidos pelos primeiros.

Para resolver a embaraçosa morte do cidadão ucraniano, o MAI Cabrita “mandou” que aDirectora Nacional do SEF se demitisse, e nomeou para o seu lugar um general reformado doExército, ex-Comandante-Geral da GNR, como “liquidatário” do mesmo; quanto às celebrações do Sporting, parece que tudo ficará em “águas de bacalhau”; no respeitante ao acidente deautomóvel do MAI Cabrita e no da “bufaria” da responsabilidade do PCML Medina, quem arcou com as culpas e foi exonerado do serviço camarário foi o “ajudante” deste último, mas, nestes dois últimoscasos, aguardemos o resultado dos respectivos inquéritos do MP, cujas conclusões, quando vierem a público, já ninguém se lembrará dos acontecimentos que osprovocaram e -até arrisco a previsão-, serem declarados como responsáveis o motorista e o dito “manga de alpaca” da CML.

Sobre tudo isto e demais “trapalhadas” de governantes e outros titulares de altos cargos públicos de nomeação política pertencentes à “famiglia” socialista, o PM António Costa, como bom “padrinho” e respeitador da “omertá”, nada diz e protege.

Face ao exposto, só algo é de espantar: como é possível que, escândalo após escândalo de governantes e outros titulares de altos cargos da Administração Pública socialistas, o PS continue confortavelmente à frente das sondagens?

Será que já não existem Portugueses, mas sim um “rebanho” de habitantes destas Terras Lusas obediente ao “pastor” e seus “cães de guarda”!?

Façam um favor a vós próprios: leiam ou releiam dois livros recentemente reeditados do insuspeito democrata britânico George Orwell, Animal Farm(O Triunfo dos Porcos) e 1984.  

Francisco Garcia dos Santos

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome