Edição online quinzenal
 
Sábado 28 de Maio de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

TANTA TRISTEZA

23-04-2021 - Henrique Pratas

Muito me custa escrever este texto, mas a sinceridade com que tenho escrito os textos para “O NOTICIAS DE ALMEIRIM” e em particular para os seus leitores obriga-me a fazê-lo.

Passados 47 anos do 25 de abril de 1974, nunca sentia tanta tristeza como sinto, no momento em que vos escrevo este texto. Normalmente quando chegávamos ao final de março, princípios de abril e durante o mês de maio, renascia dentro de mim as utopias que imaginei em 1974.

Hoje sinto-me triste por ver tanta desigualdade, trafulhice, esquemas, ausência de seriedade e falta de respeito. A maior parte das pessoas desta sociedade querem viver muito bem o que é perfeitamente legitimo, mas não vale tudo para o fazer.

Se analisarmos os nossos políticos que nos representam a maior parte deles são uma vergonha enquanto pessoas e como políticos nem vou escrever sobre isso.

Estamos perante um Estado decadente onde as instituições não funcionam ou melhor só funcionam para os mais desfavorecidos, sim estes comem pela medida grande, os outros, os políticos, os banqueiros e os vegetam há sua volta nada lhes acontece, por mais processos judiciais que tenham, uns prescrevem e outros vão de recurso em recurso até à ilibação total.

Para mim o sonho morreu, já não sou capaz de sonhar como sonhava, mas ainda tenho uma réstia de esperança, que ando desde o princípio do ano a tentar que é ir viver para o meio de vós. Sei que que não existem locais perfeitos, mas que existem uns mais perfeitos do que outros.

A cidade onde nasci está perfeitamente descaracterizada, não a reconheço porque esta história de “fazer obra” por fazer, sem atender às características da cidade tem que se lhe diga, mais uma vez as negociatas se sobrepõem ao superior interesse dos cidadãos, mas a s obras não param e apesar de correrem processos em Tribunais, quando estas terminam estão realizadas e prontas e depois o que é os Tribunais mandam fazer? Voltar tudo há primeira forma? Claro que não, fazem-se uns acordos, umas negociatas e consumam-se os factos.

A cidade “mãe” está pe4rfeitamente degradada, irreconhecível, sinais da evolução dos tempos, não, meus caros leitores sinais dos “negócios”, dos oportunistas e das pessoas de maus costumes e isto não vai ter retorno, porque os políticos vivem disto, muitos deles não se contentam com o que recebem da Assembleia da República ainda têm que ganhar e fazer outros “favores” para que os seus bolsos fiquem cada vez mais cheios.

A ganância não tem limites, muito mais quando falamos de dinheiro e tanto vocês como eu, têm assistido nos últimos tempos a atos que nos deixam perfeitamente desconsolados, abatidos e descrentes.

Como já lhes escrevi, agora aqui e por esta Europa fora surgem uns movimentos populistas que mais não são que versões de partidos nacionalistas (nazis), que vingaram noutros tempos e causaram danos de monta, será que a nossa memória já apagou o mal que nos fizeram?

Cada vez mais é preciso estarmos atentos, independentemente do que vos escrevi no início deste texto não deixo de estar atento, mas meus amigos, temos que ser mais ainda porque muitos dos cidadãos que fazem parte da nossa sociedade já fizeram a sua opção “é o salve-se quem puder” e para isso fazem tudo, mas mesmo tudo, desde a vigarice, ao ilícito criminal, fazem tudo, mas mesmo tudo.

A minha tristeza decorre do facto de pelo menos durante 12 meses, tinha 3 meses em que podia recordar as minhas utopias, agora isso para mim acabou, tento não ser envolvido em nenhum ato que não tenha praticado, porque até com isso temos que ter cuidado é não nos vermos envolvidos em nada que não tenhamos feito e tentar fazer a nossa via o mais escorreita possível e com dignidade.

Este texto constitui um desabafo de um cidadão que sempre escreveu para vocês com a maior das sinceridades e é simultaneamente um desabafo, sobre o que me vai na alma, o que só faço com quem me merece essa consideração.

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome