Edição online semanal
 
Sexta-feira 23 de Abril de 2021  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

PERIPÉCIAS

02-04-2021 - Henrique Pratas

Nestes últimos tempos os meus contributos para O Noticias de Almeirim têm sido poucos porque tenho estado envolvido em muitos processos como todos vós o que me permitiu chegar há conclusão definitiva que este País não existe e não funciona, porque apesar de já ter manifestado esta opinião por várias vezes existe sempre uma réstia de esperança para o que escrevemos não seja verdade, mas lamentavelmente isso não acontece.

Assim analisando os diferentes episódios que ocorrem na sociedade portuguesa constatamos que:

  • Em relação há vacinação para o COVID - 19 nem é bom escrever, porque temos assistido à maior desorganização e falta de planeamento que alguma vez assistimos. Pede-se aos funcionários das Unidades/Centros de Saúde para convocarem, numa tarde as pessoas para serem vacinadas no dia seguinte e instantes depois está-se a pedir as mesmos funcionários que liguem para as pessoas a desmarcarem as vacinas, alguns dos “comtemplados” são avisados às 8 horas da manhã do dia em que supostamente iriam levar a vacina;
  • Quanto aos critérios que são utilizados para que a vacina seja dada constatamos que existe falta dos mesmos, isto é, por exemplo existem pessoas que são vacinadas com 63 anos porque tiveram um AVC e outras que tiveram o mesmo tipo de acidente, mas com 72 anos e não chamados para serem vacinados e aí as pessoas não entendem os critérios de vacinação;
  • Ainda ontem ouvi o responsável pelo plano de vacinação afirmar que queria que no final do verão toda a população portuguesa estivesse vacinada, só que não disse o ano. Inicialmente depositei a minha confiança num militar para exercer esta função, agora constato que a pessoa, não corresponde às minhas expectativas, não sei se foi por andar muito tempo debaixo de água, mas o homem não tem jeitinho nenhum para a coisa, ainda por cima veste um camuflado, porque diz ele que se recusa a vestir outro tipo de roupa numa situação de guerra. Eu depois de ouvir estas palavras fiquei espantado e não queria acreditar no que ouvia e questionei-me mas alguma vez este homem esteve presente num cenário de guerra, que eu me recorde não, mas existem guerras que nós desconhecemos, muito mais aquelas que envolvem submarinos.
  • Mas voltando aos critérios de vacinação já todos demos conta de que os mesmos não existem são aleatórios e para confirmar esta situação a Ministra da Justiça afirmou que era muito difícil punir aqueles que violaram as “supostas” regras de vacinação. Depois de ouvir isto só podemos concluir que o esquema o chico-espertismo tem cobertura legal.
  • O Costa está em desacordo com o Ministro da Administração Interna que “proclamou” que as eleições autárquicas deveriam ser desfasadas, será que é desta que nos vimos livre deste incompetente ou mais uma vez o que ocorreu foi um mal-entendido?
  • Na semana que passou estive com um médico da velha guarda e questionei-o sobre as fases de testagem das vacinas, que como sabem são 5. A minha dúvida reside no facto de que quando eu trabalhei na indústria farmacêutica estes testes levavam algum tempo a serem concluídos e estes agora foram realizados num ápice e para mim foram “queimadas” algumas etapas, mas como não sei se o avanço tecnológico permitiu esta celeridade, perguntei a quem sabe e a resposta foi a que esperava, foram queimadas etapas para que a indústria farmacêutica pudesse encher os bolsos, e aí eu perguntei-lhe e a saúde das pessoas onde é que que fica, ele riu-se e disse-me isso é secundário. Face ao exposto confirmei mais uma quase certeza que tinha.
  • Queria ainda dar-vos nota que as pessoas estão a ser convocadas na véspera para serem vacinadas no dia seguinte, a isto sim podemos dizer que é improviso, porque de planeamento e de organização nada tem, estão a funcionar por impulso.
  • Dou-vos ainda nota que a senhora Diretora Geral da Saúde, teve uma “birra” e afirmou que quem não quisesse levar a vacina da ASTRAZENECA, ficaria para último, só neste País, mais uma vez estamos perante o quero, posso e mando, a saúde das pessoas não interessa. Acresce ainda a recomendação que foi dada às pessoas que levarem a vacina da ASTRAZENECA, que é que no caso de terem os sintomas que já ocorreram cá e noutros Países, de ligarem para a SAÚDE 24, querem dizer, depois de casa roubada, trancas na porta, isto é quem tiver um efeito adverso provocado pela vacina, relata-o e quem é que vai repor o estado de saúde se é que é possível? Não brinquem com a saúde das pessoas.

Fora deste âmbito da Saúde que se encontra num estado deplorável, experimentei tratar de alguns assuntos que tinha pendentes porque nem sempre temos tempo para o fazer e há que o aproveitar para o fazer por mais que nos custe.

E de facto custa para onde quer que se ligue esperamos, esperamos e ninguém atende o telefone porque se encontram em regime de teletrabalho e para se fazer uma coisa que se faz num minuto levamos horas e ficamos com a nossa paciência completamente torrada de tanta imbecilidade e tempo de espera, não há paciência e concluímos uma vez mais que o País não funciona, pura e simplesmente, é claro que estou a generalizar e as generalizações são sempre más, porque existem honrosas exceções, mas poucas, muitos se queixam que não podem exercer a sua atividade profissional, mas valeria a pena questionar se alguns deles a querem exercer.

No Banco onde tenho conta e já algum tempo lhes tenho vindo a moer o juízo por causa das taxas, taxinhas e comissões que cobram e que não prestam nenhum serviço digno desse nome, questionei-os sobre as funções do gestor de conta, que quando queremos falar com ele se ligamos cedo foi beber café e ligamos um pouco mais tarde, está em reunião, deixamos o contato e bem que podemos esperar sentados, porque retorno não existe a minha questão prendia-se com a atualização do cartão de cidadão, como todos sabem os dados devem estar atualizados e como tivesse renovado o cartão há pouco tempo, questionei o Diretor do Balcão, porque é que o gestor de conta não solicitava aos clientes a nova data de validade do cartão de cidadão já que solicitar cópia não podem, nem eu lhes dou. O “rapaz”, não esperava e meio embasbacado disse-me que dava muito trabalho e que o Banco tinha muitos clientes e que era impossível fazer o que lhe sugeria. Aí tive que lhe dizer que existem organismos que o fazem e com os sistemas informáticos que possuímos nos dias de hoje a tarefa era muito mais simples e os gestores de conta em vez de estar a coçar a micose poderiam muito bem fazer este trabalho para justificarem as taxas, taxinhas e comissões que nos cobram, não gostou, mas temos pena pagamos para que não façam nada. Aqui recordo-me das palavras da minha avó quando com 15 anos lhe falei nos Bancos e ela prontamente me respondeu prontamente, bancos só o das chaminé, tal era a confiança que ela tinha neles e acrescentava-me sempre mais vale ter um pedacinho de terra onde se possa cultivar alguma coisa para nos alimentarmos do que colocar dinheiro nos Bancos.

Esta afirmação foi produzida há 50 anos e continua atualíssima porque de facto os Bancos não desempenham as funções que lhes competem e são apenas um sorvedouro das malditas taxas, taxinhas e comissões.

Este País está parado do ponto de vista da prestação de serviços, funciona mal para não escrever pessimamente, as pessoas estão fartas de ser enganadas e os nossos políticos continuam alegremente a governar a sua vidinha à nossa conta.

É um cansaço viver todos os dias neste País porque para praticar o ato mais simples é uma dificuldade dos diabos, não se aguenta, isto está impossível e medidas de correção ao que vos acabo de enunciar não existem, porque o País se encontra num estado ingovernável.

Não podemos alimentar esperanças que isto melhore a tendência será sempre para piorar e vamos ter que nos habituar a viver um dia de cada vez, sem grandes horizontes ou quaisquer tipo de perspetivas, porque elas não existem nem nos deixam que as criemos.

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome