Edição online quinzenal
 
Sábado 28 de Maio de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

UMA VEZ MAIS A SAÚDE

12-02-2021 - Henrique Pratas

O que se está a passar na área da Saúde demonstra bem as fragilidades do nosso País que são muitas, como é do conhecimento geral.

Escrevendo da realidade que conheço, aqui pela capital do império passam-se coisas de bradar aos céus, ontem os órgãos de comunicação social anunciaram com pompa e circunstância que tinha começado o processo de vacinação contra o COVID-19 nas Unidades de Saúde Familiares (USFs) e até deram imagens da única USF onde isso aconteceu que foi na de Alvalade, mas em mais nenhuma foram dadas vacinas.

Para além de não entender o critério uma medida destas só vem gerar mais confusão na cabeça das pessoas que no dia de hoje se dirigiram a todas as Unidades de Saúde com o intuito de se vacinarem o que é perfeitamente licito, só que como o que aconteceu foi uma amostra única e excecional do que se devia fazer, hoje as Unidades e Centros de Saúde debatem-se com uma grande problema, que é dizer às pessoas que lá se dirigem, que não têm conhecimento de nada.

Isto demonstra muita coisa, um problema de comunicação gravíssimo, gera desconfiança nas pessoas que se insurgem e bem na minha perspetiva contra os funcionários dos Centros/Unidades de Saúde, que lhes dizem que não sabem de nada e isto é verdade. Se o Governo decidiu fazer esta “vaidade” para demonstrar que está a fazer alguma coisa fê-lo da pior maneira, porque com as PESSOAS e no estado atual em que vivemos não se deveria brincar e parece que se anda a brincar com a vida das pessoas. Como lhes escrevi fruto desta atitude irrefletida ou não deste Governo, gerou-se a maior das confusões porque as pessoas querem saber e consultar as listas de vacinação que ainda não existem. Mas independentemente disto temos o senhor Costa todo inchado que nem um peru em véspera de natal a afirmar que está preocupado com a Saúde dos portugueses e nestas afirmações a ministra da saúde corrobora-o em tudo, estamos entregues há bicharada, isto é tudo um faz de conta e custa-me que os políticos utilizem esta situação pandémica para fazerem politica e se catapultarem para outras zonas de conforto, irra que é demais e desumano. Vieram os alemães para o Hospital da Luz e surge o ministro da defesa a botar faladura, mais um que se quer promover há custa da pandemia. Apesar disto continuam a morrer diariamente centenas e centenas de pessoas, mas está tudo bem não se passa nada. O líder do PPD/PSD, vem para a praça pública que se fosse com ele faria isto e mais aquilo, que se têm que vacinar por semana mais de 40.000 pessoas, mas o que é isto, eu se fosse ao Costa, era limpinho depois de ter ouvido as palavras e as soluções apresentadas pelo líder parlamentar do PPD/PSD, convidava-o imediatamente para executar as medidas que ele diz serem a solução para o problema e depois veríamos como é que a “vaca” tossia.

Ontem como é conhecido de todos nós foi nomeado um militar para coordenar o plano de vacinação contra o COVID-19, coisa que eu já tinha defendido logo no início, porque nisto os militares entendo eu são ou devem ser muito bons, não quero dizer que o anterior coordenador do programa de vacinação não fosse uma pessoa competente, antes pelo contrário eu até me admirei como é que ele se meteu neste molho de brócolos e escrevo isto porque tive a oportunidade de trabalhar com ele e quando é para fazer as coisas aparecem feitas.

A confusão é tamanha que aqui pelo burgo existem Unidades/Centros de Saúde a funcionarem de forma completamente diferente, é a confusão total, concretizando, alguém que surja com suspeitas que tenha contraído o vírus deve ligar para a SAÚDE - 24 e de acordo com os sintomas dão-lhes as instruções necessárias dependendo do estado que a pessoa descreve, uns têm que ter uma intervenção imediata, outros nem por isso e fazem um período de contingência que pode durar entre 10 a 14 dias para ver como a situação evolui. A informação é transmitida da SAÚDE – 24 para as Unidades de Saúde/Centros de Saúde e estes através dos médicos que têm disponíveis vão fazendo o acompanhamento telefónico com os supostos contaminados.

No final dos 10 ou 14 dias, existem Unidades/Centros de Saúde que mandam e bem na minha opinião fazer o teste do COVID para saber se as pessoas estão ou não contaminadas, noutros os médicos pura e simplesmente mandam as pessoas fazer a sua vida normal como se nada tivesse ocorrido, e é aqui que eu não entendo nada disto na minha opinião todas as pessoas que estiveram em confinamento profilático deveriam fazer o teste ao COVID-19, para saber se estão ou não contaminadas e em função disso é que os médicos deveriam emitir a sua “sentença”. Mas a realidade é bem diferente, eu conheço uma médica que testou uma primeira vez POSITIVO, apesar de ter tomado a primeira dose da vacina, já fez três confinamentos profiláticos e continua a dar sempre POSITIVO.

Tudo isto para vos escrever que perante situações idênticas existem procedimentos diferentes, o que me parece perfeitamente desadequado, desajustado ou inconveniente, porque se não se faz o teste no final do confinamento profilático as pessoas que se encontraram nesta situação ao fim de 10 ou 14 dias podem vir para a rua contaminadas e vão contaminando tudo por onde passam.

Andam a brincar com a “festa”, mas parece-me que a “festa” lhes vai sair muito cara.

Henrique Pratas

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome