Edição online semanal
 
Quarta-feira 21 de Outubro de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

O Menino Azul

16-10-2020 - Francisco Pereira

Era uma vez,

Um planeta amarelo, com casas amarelas, árvores amarelas, rios e mares amarelos, tudo era amarelo, bem tudo não havia o menino azul.

Era o único pontinho de outra cor que não o amarelo. E era infeliz o menino azul!

Primeiro porque quase ninguém o queria para amigo, os amarelos julgavam-se os melhores, os mais inteligentes, os mais cultos e sabichões. Por isso não gostavam do menino azul.

Os pais do menino azul eram amarelos, e não conseguiam explicar como acontecera aquela desgraça, tanto quanto a memória alcançava, na família quer do lado da mãe, quer do lado do pai, todos eram amarelos, pois, uns mais claros outros mais torrados, mas todos amarelos, porque raio lhes fora agora imposto aquele castigo.

Mas acreditem, os pais do menino azul adoravam aquele filho azul, mas ao mesmo tempo percebiam que a diferença o magoava, os outros meninos e meninas amarelos não gostavam do menino azul e faziam-lhe maldades.

A escola era um drama, o menino azul detestava a escola, quer dizer ele não detestava a escola, ele adorava aprender, gostava de fazer contas, gostava de descobrir a magia dos números, gostava de fazer música, de juntar as letras e gostava de ler.

O pior eram os intervalos, em que os outros meninos o tratavam mal simplesmente por ele ser azul, chamavam-lhe nomes e escorraçavam-no das brincadeiras, ou não o deixavam mesmo brincar, como eram maus aqueles meninos.

Não eram todos, havia uma menina amarela, muito amarela, quase que brilhava, que não se importava que o menino fosse azul. Os seus grandes olhos amarelos, pareciam grandes girassóis amarelos.

- Queres brincar comigo – perguntava a menina amarela ao menino azul.

- Sim, claro que quero – respondia o menino azul – e brincamos a quê?

-Olha vamos brincar no escorrega – disse a menina amarela!

Tornaram-se os melhores amigos, e de tal maneira criaram laços de amizade, e de tal maneira ficaram amigos e gostavam um do outro, que anos mais tarde, mesmo contra a vontade dos pais da menina amarela, que não queriam, ele teimou e casou com o menino azul.

Uns tempos depois a menina amarela, já mulher, teve um bebé, uma menina, e para espanto de todos, ela era verde, uma bela menina verde, os pais ficaram radiantes, encantados, perante o olhar de desdém e quase reprovação de todos os outros os amarelos.

Até apareceram notícias na televisão que davam conta que em terras mais distantes daquele planeta amarelo, tinham nascido bebés vermelhos, bebés brancos, bebés pretos, e que o que até aí parecia estranho começava a deixar de o ser.

Muitos anos depois, mesmo muitas centenas de anos depois, tanto tempo tinha passado que muito poucos no planeta amarelo se lembravam da história do menino azul, os meninos agora já não olhavam de lado para quem não fosse amarelo.

Agora no planeta amarelo, existiam meninos e meninas de todas as cores, azuis, verdes, laranja, rosa, um verdadeiro arco-íris de cores e ninguém apontava o dedo ao outro por ter aquela ou aqueloutra cor, apontavam o dedo sim quando algum menino mais descuidado, deitava papeis para o chão e não os apanhava, ou quando uma menina mais distraída falava muito alto de noite quando as pessoas estavam a descansar.

E no planeta amarelo, houve uma votação para mudar o nome ao planeta, apesar de as casas continuarem amarelas, as árvores continuarem amarelas, os rios e mares continuarem amarelos, tudo era amarelo, bem tudo não, porque agora existiam meninas e meninos de muitas cores, por isso as pessoas do planeta amarelo, queriam que ele se chama-se planeta arco-íris.

A votação foi por unanimidade ou seja ninguém votou contra ou deixou de votar, todos votaram e escolheram o novo nome do planeta, aquele que fora noutros tempos o planeta amarelo, passou a chamar-se planeta das cores.

E tudo por causa de um menino azul que um dia começara a brincar com uma menina amarela que gostava dele não pela cor mas porque ele era um bom menino.

Francisco Pereira

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome