Edição online semanal
 
Domingo 20 de Setembro de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

A PERDA DE “LABIA” E A MARIA DA FONTE

11-09-2020 - José Janeiro

Surpreendentemente o comentador, professor catedrático, opinador e expert de tudo e nada, ficou sem palavras com o banho de realidade da nova “Maria da Fonte”, mulher do Norte carago, que o confrontou com a factualidade extra salvamentos marítimos e selfies de meninas em biquíni.

Passada a surpresa inicial por existir um telemóvel a gravar, que não estava a ser usado para as tradicionais selfies afectuosas e lamechas, mas sim para o confronto das evidencias, gaguejou uns disparates sem nexo. Sem nexo porque é ele que tem a “bomba atómica” que é a dissolução da Assembleia da Republica. Entre balbucios de “é a ditadura” até “diga ao povo para escolher outro governo”, e a cereja no topo do bolo, em “nenhum país seria possível estar a falar directamente com o Presidente”, nada mais conseguiu responder ao concreto com o que era confrontado. Ficou sem a habitual “lábia” adquirida por anos de experiência como comentador, pois quando o fazia não tinha contraditório e tudo valia. Um deus com pés de barro, que aqueles mais atentos já sabiam.

Surpreendeu-se com o facto de alguém receber 300€ de apoio para viver, surpreendeu-se com o salário mínimo que não evolui significativamente há décadas, este século nem duplicou, mantêm-se com uma variação de 99% em 20 anos! Mas foi o mesmo Presidente que referiu em 23.11.2019 que os 635€ de salário mínimo “era razoável no contexto Português”, a serio Sr. Presidente? O povo bem diz: “pimenta no cu dos outros é refresco”, nunca tal se aplicou tão bem ao selfieman.

“Porque terei que comer pão”,faltou o “apenas” na frase para o impacto ser maior, sim, quiçá o Sr. Presidente não saberá que há quem viva com um rendimento desses, talvez o mesmo que ele gasta mensalmente nos seus preciosos livros. Mas isso não importa, não importa que o povo não consiga comprar os livros necessários para abrirem os olhos, pois sabemos que quanto mais cultos mais perigosos ficam para o poder instituído. Hitler, Estaline e Mao, controlavam as massas pelo medo, assumidamente nos escritos e actos, os novos ditadores, os tais que o Marcelo diz existirem, controlam pelo culto da ignorância.

Ficou, no Porto, a orgulhosa cidade Invicta, a saber que há quem não o ame como ele julgava, pois os papalvos começaram a abrir os olhos e viram no “apurador-mor” ou “papagaio-mor-do-reino” aquilo que ele é verdadeiramente um INUTIL. Não sei se reparam, mas o Ti Celito andou posteriormente, naquele dia, com uma linguagem corporal um pouco estranha por desconfortável, se não tivesse mascara veríamos uma face em “briquismo(*)” constante, assim como não conseguimos ver além dos olhos e dos gestos, restou o olhar perdido pela coça que levou.

Sabemos bem que os poderes Presidenciais são muito limitados, sabemos que resta a pressão e a “bomba atómica” para com o governo, mas coincidência ou não, após o episódio do Porto, na Feira do Livro, e a propósito da Festa do Avante, o mesmo Presidente-que-não-tem-poderes atirou-se a um orgão tutelado pelo governo, a DGS, para se insurgir pela não divulgação das regras da festarola comunista. Ele há coisas que nem o diabo consegue explicar! Os resquícios da tareia da Maria da Fonte, tiveram esse efeito imediato, abanaram o Presidente-dos-afectos e fizeram-no provar o fel que o povo não demonstra nas selfies quando o olham em reverencia quase religiosa. Marcelo achava-se um deus para o “seu” povo, tal a pantominice que conseguiu criar á sua volta, entendeu naquele dia que nem todos engolem o que lhe sai da boca para fora... ficará esse dia, como o dia em que Marcelo se calou e não conseguiu engolir o sapo.

Não me surpreenderia nada, que por estes dias, os ditadores, a que o Marcelo se referia, não comecem a denegrir a nova “Maria da Fonte” encostando-a ao CHEGA ou á extrema direita para justificarem aquilo que todos viram e que não é justificável. Como vem sendo habitual, tudo o que sai das “regras” reconhecidas pelos novos donos da democracia e do padrão de controlo mental serão esses, apelidados de fascistas, acenando o papão, em vez do contraditório. Em breve teremos que cumprir o código de vestuário, ou corte de cabelo á Kim Jung-un, ainda os vou ver a exigir tais desmandos, já nada me surpreenderá. Não interessa aos “antifa”, BE, SOS Racismo e restantes energumenos protegidos pelo governo e apoiados pelo Ti Celito que ele perca as eleições, seria o descalabro para a agenda radical que nos querem impor.

Acho que o povo, uma vez mais, nas eleições (as próximas são as Presidenciais), não irá castigar os do costume e seguir o conselho do ainda Presidente para votarem diferente do que têm feito. É apenas estúpido acreditar que votar igual e esperar resultados diferentes possa ser algo inteligente. O voto de protesto está a crescer, é a esperança deste país que se confirme a tendência e se consiga convencer os abstencionistas a zelarem pelo bem estar do país via voto.

Até para a semana.

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome