Edição online quinzenal
 
Sexta-feira 1 de Março de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

NUNCA HOUVE TANTO PANICO POR ALGO COMEÇADO POR “C” E TERMINADO EM “ONA”!

03-04-2020 - José Janeiro

(autor desconhecido no facebook)

... bom, talvez as excepções sejam alguns que não liguem muito a isso!

Nunca imaginei ficar tão surpreendido negativamente com a humanidade, sempre ilusoriamente, imaginamos que na desgraça as pessoas se unem e remam para o mesmo lado: aquele que permitiria em inter ajuda ultrapassar os momentos mais difíceis, mas NÃO!

Assistimos por estes dias a todos os defeitos que a humanidade consegue demonstrar no seu pior, a par das emoções mais sentidas e comoventes homenagens, conseguimos ver a imensa estupidez e a leviandade de uns quantos. Sem ter pretensões a esgotar a barbárie que esses conseguem demonstrar no meio do caos, refiro alguns,os mais inquietantes que demonstram o quanto tantos conseguem ter o cérebro todo fu(n)dido. É nestas situações que lamentamos que o vírus não consiga ser selectivo, limpando de vez a merda de gente que abomina os outros, não conseguindo criar o mínimo de empatia pela desgraça e continua a pensar apenas no lucro e no seu umbigo. Há quem diga, teoria da conspiração ou não, que o “bicharoco” foi criado em laboratório, para numa política hitelariana, conseguirem eliminar a sobre lotação planetária, que pena, se assim, for o vírus não conseguir identificar o gene da estupidez presente numa grande franja humana.

Foram noticia esta semana:

Um daqueles tipos do Norte europeu, um Holandês, cujo nome se assemelha a algo como digitar á toa num teclado, veio no meio de uma pandemia global, sugerir que os países do sul deveriam ser investigados, por falta de capacidade financeira para suportar o sistema de saúde. Falava-se na hipótese de criação de uns títulos, “coronabonds”, para a gestão da divida comum europeia. Nessa altura, um perfeito energumeno filho de uma grande puta, o ministro das finanças da Holanda Wopka Hoekstra, fixem se puderem este nome, a par do outro Jeroen Dijsselbloem, o tal dos copos e mulheres, achou num acto supremo da maior estupidez e cérebro fu(n)dido por maconha dos coffee shops, pedir para avaliar os países do sul da Europa por falta de capacidade de meios financeiros para gerir uma crise, tanto ou mais grave que uma guerra. Reconheço que estes tipos são irasciveis e pouco confiáveis, reconheço também que os governos do sul da Europa têm e tiveram governos fracos e pouco interessados no desenvolvimento dos povos, mas caramba, dizer isto nesta fase equivale a mostrar o dedo do meio aos outros e demonstrar que se estão cagando para o sofrimento dos seus compatriotas europeus e acima de tudo a salvação de pessoas, mais importante que qualquer pedaço de papel impresso a que se convencionou chamar dinheiro.

Esse ministro que assim falou, é o ministro das finanças de um país que suga vampiristicamente os lucros produzidos nos países congéneres europeus, por deslocalização de sedes fiscais, é o mesmo país que afinal pediu ajuda á Alemanha para receber doentes COVID-19, é o mesmo pais que após a 2ª guerra mundial recebeu as maiores ajudas do Plano Marshall, é o mesmo país que é um mero narcoestado Europeu, este é o pais daquele que se acha o paladino das boas finanças e que é um elemento da Democracia Cristã daquele país, isto diz tudo a personalidade da besta quadrada.

E cá na Tugalandia, a VINCI, detentora da ANA, propôs em carta enviada aos seus trabalhadores licença sem vencimento e gozo de ferias de 2020 para fazer face á quebra de receitas, a falta de vergonha destes tipos é atroz. Licença sem vencimento? Então quando as pessoas necessitam de mais apoio para fazer face á pandemia, quando existem soluções criadas pelo governo, como o layoff, com o intuito de minorar ao máximo possível o impacto nas empresas e nas pessoas, quando existem apoios financeiros do BCE, estes tipos propõem, desenvergonhadamente que os seus trabalhadores fiquem sem meios de subsistência. Eis como mais um tipo do alto do seu pedestal não consegue ver além dos lucros e das finanças, desprezando as pessoas. Possivelmente, nos tempos de estudante e quiçá posteriormente também, visitou assiduamente as coffee shops e ficou com o cérebro todo fu(n)didinho. Não consigo imaginar, um gestor, um líder, sim deve ser um líder, propor ás pessoas que vão para casa sem rendimentos, afinal que tipo de geração andámos a criar? A insensibilidade desta geração demasiado protegida, que pensa que tudo é fácil, produziu um tipo de gentinha monstruosa e pouco recomendável.

Mas se pensam que já viram tudo, temos por cá também uns quantos janados que também terão que meter mais tabaco na mistura. O líder parlamentar do BE, afirmou textualmente: que os funcionários públicos “são os primeiros a pagar com o congelamento de salários em momentos de crise”. A ignorância de quem nunca teve o seu emprego em risco, de quem nunca teve o seu salário atrasado, faz com que se digam estas barbaridades esquecendo-se que as pessoas do sector privado têm sempre o seu emprego a prazo, se as empresas aonde trabalham tiverem problemas. Insurgi-me contra esta tamanha estupidez em email enviado para a pagina deste tipo na AR, (link da noticia) e questionei: “ Pode explicar isto? Voc ê tem no çã o do que diz ou é s ó mesmo para a parvo í ce?
Ent ã o compara quem tem o sal á rio garantido, os funcion á rios p ú blicos, com os do privado que podem ficar sem rendimentos, desta forma? Mas voc ê diz o que disse apenas porque os funcion á rios p ú blicos n ã o v ã o ter aumentos? E a malta do sector privado que ir á ficar sem emprego é muitos sem rendimentos, como é ?Ganhe ju í zo porra . ” Na resposta o gajo desculpou-se, apesar de ter considerado a minha “ terminologia abjeta (sic) ” , tendo dito que foi em resposta a uma pergunta de uma jornalista que este assunto n ã o estaria no centro das medidas apresentadas e que respondeu com a posi çã o conhecida do BE. Ora se esta é aposi çã o do BE, para igualdade de tratamento entre trabalhadores, s ó pode ser anedota. Claro que o aconselhei a meterem mais tabaco na mistura e fazer um curso de comunica çã o para evitarem dizer parvo í ces. Esta é a postura de quem deve defender os trabalhadores, sejam eles de que origem sejam, hoje sabemos que entre o publico e o privado existem diferen ç as abismais nas condi çõ es remunerat ó rias e de acesso ao apoio social na reforma, ou mesmo na sa ú de e como se isto n ã o bastasse os coitados que t ê m todas estas regalias e o sal á rio sempre a horas, ainda s ã o uns coitadinhos que n ã o ser ã o aumentados devido ao COVID-19, sabendo-se que quem paga essa merda toda s ã o os impostos dos demais.

... E a China continua a facturar em grande impunemente!

Mantenham-se sadios se conseguirem

At é para a semana.

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome