Edição online semanal
 
Sábado 15 de Agosto de 2020  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Em tempos de pandemia, faltam telefones e funcionários nos centros de saúde

31-07-2020 - ZAP

Os responsáveis pelas unidades de saúde familiar consideram que a pandemia de covid-19 só veio deixar mais evidente a falta de meios.

Com o aparecimento da pandemia de covid-19, as autoridades de saúde apelaram aos portugueses para evitarem deslocações aos  centros de saúde e tentarem privilegiar os contactos por telefone ou e-mail.

No entanto, como mostra a Renascença, para que isso seja possível é preciso haver meios suficientes para garantir essa situação, o que não está a acontecer. Em declarações à rádio, o presidente da Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar, Diogo Urjais, alerta para a  falta de meios.

“Aquilo que a pandemia veio reforçar é que os recursos materiais nas unidades não correspondem às necessidades do aumento da consulta não presencial e até da presencial”, afirmou.

Muitos dos centros de saúde  não atendem os telefones, situação que o responsável disse não ter chegado à rutura porque foram sendo encontradas soluções como, por exemplo, “compra de cartões pré-pagos” ou ligações “do próprio telemóvel”.

Relativamente à falta de pessoal, Diogo Urjais considera que “é importante investir em recursos humanos, nomeadamente em secretários clínicos”. “Se nós estamos a aumentar a carga horária não presencial, e se os secretários clínicos ou os administrativos técnicos já eram a classe mais em falta nos cuidados de saúde primários, se a carga agora aumentou, a  resposta torna-se mais difícil“, declarou.

À mesma rádio, o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, Rui Nogueira, alerta também para o facto de os centros de saúde que já tinham falta de médicos de família serem também aqueles que estão agora mais pressionados pela covid-19.

“Nesta altura  começa a haver alguma exaustão, nomeadamente nos centros de saúde onde coexistem as duas situações, isto é, situações de mais doentes com covid-19, que é o caso de algumas freguesias dos concelhos limítrofes de Lisboa e onde já havia falta de médicos de família.”

Portugal  registou , este domingo, mais duas mortes e 313 novos casos de covid-19. Assim sendo, desde o início da pandemia, o país regista um total de 1684 mortes e 48.390 casos confirmados.

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome