Edição online quinzenal
 
Domingo 2 de Outubro de 2022  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

“O meu pai morreu por não apoiar João Lourenço”, diz ‘Tchizé. Resultado provisório da autópsia contraria acusações de envenenamento

15-07-2022 - Taísa Pagno

‘Tchizé’ dos Santos, filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos, defendeu que este foi assassinado por pessoas próximas de João Lourenço, atual chefe de Estado daquele país. Um resultado provisório da autópsia contraria as acusações de envenenamento levantadas pela família.

Em entrevista à CNN, divulgada na segunda-feira, na qual deu pouco espaço para a jornalista intervir, sublinhou que a morte do pai se deveu ao facto de não ter apoiado João Lourenço nas eleições agendadas para o final de Agosto, especulando sobre a origem do acidente vascular cerebral.

Confirmou que apresentação uma queixa por tentativa de homicídio do pai, com o “apoio de alguns irmãos”. Segundo afirmou, os “principais suspeitos” são elementos do corpo médico e de segurança que o acompanhavam, bem como a mulher do pai, Ana Paula dos Santos, acusando-os de serem “infiltrados” de João Lourenço.

“É muito curioso que João Lourenço tenha ficado a saber do falecimento do meu pai e tenha anunciado primeiro do que eu”, apontou, sublinhando: “eu fiquei a saber pelo senhor Lourenço do falecimento do meu pai. O que me chocou tremendamente”.

‘Tchizé’ disse ainda que não vai permitir que o corpo do ex-chefe de Estado seja transladado para Angola. “O meu pai deixou uma vontade expressa de não mais voltar a ser humilhado por João Lourenço e não mais voltaria a Angola”, frisou, acusando o atual Presidente de ser um “ditador corrupto”.

Durante a mesma entrevista, garantiu que não colocará “o pé em nenhuma instituição de Angola enquanto o João Lourenço for Presidente”. “Corro perigo de vida em qualquer sítio onde ele tenha controlo”, referiu.

Apontando o dedo ao Governo angolano, que “lhe deve uma indemnização brutal”, acusou também Portugal do mesmo, por a estar “a difamar através dos tribunais”. “Sou cidadã portuguesa e não sinto segurança jurídica para estar” no país, porque o “governo português já baixou as orelhas” a João Lourenço, apontou.

Entretanto, o resultado provisório da autópsia ao corpo de José Eduardo dos Santos afasta “qualquer hipótese de envenenamento”, contrariando, assim, as acusações que têm sido feitas pela família, avançou esta terça-feira o Correio da Manhã.

O documento preliminar “não aponta qualquer irregularidade”, segundo informação confirmado pelo jornal junto do Governo angolano.

O corpo do ex-chefe de Estado foi autopsiado em Barcelona, onde faleceu, após a autorização judicial recebida na sexta-feira.

O resultado final só deve ser conhecido dentro de dois ou três dias. Caso não se confirmem irregularidades, avançarão os preparativos para a retiradas dos seus restos mortais, que deverão ser transportados para Luanda.

Fonte: ZAP

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome