Edição online semanal
 
Quarta-feira 12 de Dezembro de 2018  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

O ECONOMICISMO NA SAÚDE

12-10-2018 - Henrique Pratas

Se dúvidas existissem acabei de receber a informação que numa Unidade de Saúde não de podem passar mais TACs e Análises até ao final deste ano, porque já “atingiram” os números que lhes imputaram e convém conter os custos e eu questiono para que serve uma Unidade de Saúde estar aberta com estes impedimentos será que os utentes vão lá apenas para cumprimentar os médicos e dar dois dedos de conversa.

Isto se não fosse sério dava uma vontade de rir do arco-da-velha, isto é surrealista e mais uma vez se prova por A mais B que são os números que mandam, as PESSOAS, não importam no meio deste processo todo, são uma coisa que andam para aqui, que só servem para auferirem salários de miséria e para pagar impostos, que servem para cobrir os desmandos que os banqueiros cometem e outros “artistas” de renome na nossa praça.

Oh, que nós chegámos, estou a escrever-vos este texto e ainda me parece impossível que medidas destas sejam tomadas, como é que é possível colocar as PESSOAS em 2.º; 3.º ou 5.º plano é inacreditável, nunca me passou pela cabeça que chegássemos a esta miséria, é urgente inverter esta tendência de situações, sob pena de um destes dias, termos que realizar descontos para a Segurança Social e não termos direito à assistência médica e reforma.

O Estado português está a comportar-se como um malfeitor porque deixa a descoberto os mais fracos e menos protegidos pela sociedade, então onde é que estão os princípios da igualdade que tanto são badalados mas pouco praticados, estão à vista, só não vê e não sente, quem não quer e os mais insensíveis.

Se uma “rapariga” que vive nos Estados Unidos da América, vem reclamar 9 anos depois o pagamento de uma indemnização pela prática de atos sexuais, mais ou menos consentidos, coisa que nós não sabemos, nem provavelmente nunca saberemos, quanto é que os portugueses têm que solicitar aos diferentes Des) Governos, que nos têm estragado a vida ao longo dos anos, uma fortuna daquelas que daria para viver tranquilo.

Nós portugueses temos sido “violentados” ao longo dos diferentes anos, de todas as formas e será que não teremos direito a uma indemnização pelos atos praticados de má Governação? Sim porque foi isto que ocorreu, tudo a favor dos banqueiros, estes a cometerem as maiores barbáries e depois da barriga cheia, aproximaram-se do Estado, para que este lhes cobrisse as imparidades, coisa que fez com que dinheiro?

Com o dinheiro dos nossos impostos , que deveria ter sido canalizado para o Investimento Público com o intuito de empresas que gerassem riqueza e consequentemente mais trabalho para todos os portugueses.

Assim vamos andar sempre à roda como quem tem hámsteres, em casa, normalmente estão dentro de um espaço fechado, onde se lhes coloca uma roda e como a noção de espaço que lhe dão é aquele eles colocam-se dentro da roda e vá de calcorrear milhares que quilómetros, até faz impressão para quem vê, a nós cidadãos portugueses fizeram-nos o mesmo só que alguns de nós ainda não se aperceberam disso e aqueles que se aperceberam não têm alternativa, andamos nisto há anos, alguns aperceberam-se mais cedo e saíram da roda em andamento, outros nem por isso, porque já não conseguem viver fora da roda e nos entretantos vamos contribuindo através de impostos, taxas, coimas e demais formas de nos sacarem dinheiro e nós vamos aguentando, não sei até quando.......

Henrique Pratas

 

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome