Edição online semanal
 
Sexta-feira 20 de Setembro de 2019  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Série “Chernobyl” foi construída como um filme e dividida em cinco partes

07-06-2019 - Redacção

O último episódio de “Chernobyl” foi exibido na passada segunda-feira na HBO. A série de cinco episódios, escrita por Craig Mazin, um dos argumentistas de “The Hangover Part II”, conquistou o público e durante uma entrevista ao   Collider , o realizador Johan Renck falou sobre o seu fascínio pela história desta série:

“ O argumento estava na minha mesa e eu já estava apaixonado pelo título. Sou atraído por uma certa escuridão, mas se tiver beleza dentro dela. Como escandinavo, gosto do desespero e da austeridade estranha das coisas. Então sabia, apenas vendo a página do título, que muito disso estaria lá. Depois de ler o primeiro episódio, pedi mais argumentos, e conforme os lia, ficou muito claro que não havia como ficar longe disso. E foi assim que tudo começou “.

Na mesma entrevista, Renck revela ainda que filmou o projecto como se fosse um filme de cinco horas: “ Eu insisti, mesmo não tendo nada de televisão tradicional nisso. É basicamente uma longa-metragem dividida em cinco partes e foi assim que todos lidaram com isso — Gravado e tratado como uma produção cinematográfica. Trabalho na televisão há muito tempo e conheço todos os seus pontos de vista. Nunca houve concessões, e nunca houve qualquer desejo de fazer nada além do que seria melhor para o projecto“.

A história de “Chernobyl” começa no dia 26 de Abril de 1986, quando um dos reactores de uma fábrica na Ucrânia sobreaqueceu e explodiu, libertando uma grande carga radioactiva por toda a região. Ao todo, 31 pessoas morreram e centenas desenvolveram problemas de saúde, devido à exposição de urânio. Considerado o maior desastre nuclear da história até hoje, a mini-série de cinco episódios conta a história dos homens e mulheres cujas vidas foram alteradas de forma profundo após este acontecimento.

Quanto ao elenco, o actor Stellan Skarsgård interpreta Boris Shcherbina, vice-presidente do Conselho de Ministros e chefe do Departamento de Combustível e Energia da União Soviética. Já Emily Watson, por sua vez, assume o papel de Ulana Khomyuk, uma especialista em física nuclear que, ao lado do especialista Valery Legasov (Jared Harris), procura descobrir as causas do acidente, a fim de evitar que ele se repita.

Fonte: Comunidade Cultura e Arte

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome