Edição online semanal
 
Sexta-feira 24 de Novembro de 2017  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo

Questões Oportunas

ÚLTIMO DISCURSO DE SALVADOR ALLENDE, 11 DE SETEMBRO, 1973
15-09-2017 - Redacção

Santiago de Chile  
11 de setembro de 197

07:55 Radio Corporation

Diz o presidente do Palácio de La Moneda.   relatos confirmados indicam que uma parte da tripulação do navio teria isolado Valparaiso ea cidade seria ocupada, o que significa um levante contra o governo, o governo legitimamente constituído, que estão protegidos pela lei ea vontade do cidadão.

Nestas circunstâncias, eu chamo todos os trabalhadores.   Ocupando seus postos de trabalho, a participar nas suas fábricas, manter a calma e serenidade.   Neste momento Santiago não produziu qualquer movimento extraordinário de tropas e, como informou o chefe da guarnição, Santiago seria esquartejado e normal.

Em qualquer caso, eu estou aqui no Palacio de Gobierno, e eu vou ficar aqui defendendo o Governo I representam a vontade do povo.   O que eu quero, essencialmente, é que os trabalhadores estão atentos, vigilantes e evitar provocações.   Como primeiro passo, temos que ver a resposta, que eu espero que seja positiva, os soldados da Pátria, que juraram defender o regime estabelecido é a expressão da vontade dos cidadãos, e irá cumprir com o prestígio doutrina para o Chile e Prestigia profissionalismo das Forças Armadas.   Nestas circunstâncias, tenho a certeza de que os soldados sabem cumprir a sua obrigação.   De qualquer forma, o povo e os trabalhadores, principalmente devem ser ativamente mobilizados, mas em seu local de trabalho, ouvir o apelo feito a ele e as instruções dadas pelo camarada presidente.

08h15

Trabalhadores de Chile:

Ele é falado com o presidente da República.   As notícias que temos, neste momento, revelam a existência de uma insurreição da Marinha na província de Valparaiso.   Ordenei ao exército tropas são direcionados para Valparaiso para conter a tentativa de golpe.   Eles devem aguardar instruções emanadas da Presidência.   Tenha certeza de que o Presidente permanecerá no Palácio de La Moneda defendendo governo dos trabalhadores.   Tenha certeza de que vou respeitar a vontade do povo para me dar o comando da nação até 4 de Novembro de 1976. devem permanecer vigilantes em seus locais de trabalho esperando por minhas informações.   Forças leais respeitando o juramento às autoridades, com o trabalho organizado, esmagar o golpe fascista que ameaça o país.

08h45

Companheiros que me escutam:

A situação é crítica, estamos diante de um golpe que a maioria das forças armadas envolvidos.   Nesta hora fatídica quero lembrar algumas das minhas palavras faladas em 1971, eu digo-lhes com calma, com absoluta confiança, não tenho apóstolo pasta ou messias.   Não tenho condições de mártir, eu sou um lutador social, que cumpre uma tarefa que as pessoas têm me dado.   Mas eles entendem aqueles que querem reverter a história e ignorar a vontade maioria do Chile;   sem mártir carne, eu não vou dar um passo para trás.   Eles sabem disso, eles ouvi-lo, eles teriam graben profundamente: Vou deixar La Moneda quando cumprir o mandato que o povo me deu, vou defender esta revolução chilena e defender o governo, porque é o mandato que o povo me deram.   Eu não tenho escolha. Acribillándome apenas balas pode impedir a vontade que é fazer cumprir o programa do povo.   Se eu matar as pessoas vão seguir o seu caminho, siga o caminho com a diferença, talvez, que as coisas vão ser muito mais difícil, muito mais violento, porque vai ser uma lição objectivo muito claro para as massas que essas pessoas vão parar em nada.   Eu tinha contabilizado esta possibilidade, eu não irá oferecer nem fornecer tais informações.   O processo social não vai desaparecer, porque um líder desaparece.   Pode levar algum tempo, podendo ser prorrogado, mas no final você não pode parar.   Camaradas, fique atento às informações sobre suas estações de trabalho, o presidente camarada não vai abandonar seu povo nem seu local de trabalho.   Vou ficar aqui no La Moneda, mesmo à custa da minha própria vida.

09:03 Rádio Magallanes

Agora eles estão passando aviões.   Vocês pode acribillen nós.   Mas eles sabem que estamos aqui, pelo menos por nosso exemplo, que neste país há homens que sabem como cumprir a obrigação.   Eu faço isso por mandato do povo e o mandato consciente de um presidente que tem a dignidade do ofício entregue pelo povo em eleições livres e democráticas.   Em nome dos interesses mais sagrados do povo, em nome do país, convido-os a dizer-lhe para ter fé.   A história não parar a repressão ou crime.   Este é um passo que será superado.   Este é um momento duro e difícil: você pode esmagar-nos. Mas amanhã vai ser o povo, vai trabalhadores.   A humanidade avança para a conquista de uma vida melhor.

Pagarei com minha vida a defender os princípios que são caros a este país.Ele vai cair um opróbrio sobre aqueles que violaram os seus compromissos, faltando sua palavra ... quebrado a doutrina das Forças Armadas.

As pessoas devem estar alerta e vigilante.   não deve ser provocado, nem deve ser deixado para o abate, mas também deve defender suas conquistas.   Você deve defender o direito de construir um esforço digno e uma vida melhor.

09h10

Certamente esta será a última oportunidade de lhe falar.   A Força Aérea bombardeou as torres de rádio Post e Radio Corporation.   Minhas palavras não têm amargura, mas decepção Que são estes castigo moral para quem traiu o juramento que tomou Soldados Chile, chefe titulares comandantes, o almirante Merino, que designou o próprio comandante da Marinha, o Sr. Mendoza, geral insensível que prometeu ontem sua fidelidade e lealdade ao Governo, que também foi diretor auto-nomeado geral dos carabineros. Diante desses fatos cabe-me apenas dizer aos trabalhadores: Não vou desistir!   Colocado em uma transição histórica, pagarei com minha vida a lealdade do povo.   E eu lhes digo que eu estou certo de que a semente que se renderam à boa consciência de milhares e milhares de chilenos não poderá ser ceifada definitivamente.   Eles têm o poder, eles podem nos esmagar, mas social, nem crime, nem força de processos parar.   A história é nossa e fazer povos.

Trabalhadores de minha Pátria: Quero agradecer a lealdade que sempre tive a confiança depositada em um homem que foi apenas intérprete de grandes anseios de justiça, que deu sua palavra de que iria respeitar a Constituição ea lei, e ele fez.   Neste momento definitivo, o último que eu posso falar com você, eu quero que você aprender esta lição: o capital estrangeiro, o imperialismo, juntamente com a reação, criou o clima para as Forças Armadas quebrou sua tradição, para ensinar-lhes a geral Schneider e reafirmada pelo comandante Araya, vítimas do mesmo setor social que hoje estão em suas casas, esperando para tomar o poder, para continuar defendendo seus lucros e seus privilégios.

Dirijo especialmente à mulher simples de nossa terra, o camponês que acreditou em nós, a avó, que trabalhou mais, à mãe que soube de nossa preocupação com as crianças.   Dirijo profissionais do país, os profissionais patriotas que continuaram trabalhando contra a sedição patrocinado por associações profissionais, aulas de faculdades para defender as vantagens de uma sociedade capitalista de alguns.

Dirijo a juventude, àqueles que cantaram e deram o seu espírito alegria e luta.   Dirijo o homem do Chile, o trabalhador, o agricultor, o intelectual, àqueles que serão perseguidos, porque em nosso fascismo país tem sido já presente por muitas horas;   em ataques terroristas, explodindo as pontes, o corte da linha férrea, destruindo oleodutos de petróleo e gás, em relação ao silêncio daqueles que foram obrigados a avançar.   Eles estavam noivos.   A história julgará.

Certamente Rádio Magallanes será calada e o metal tranqüilo de minha voz não chegará mais a você.   Não importa.   A audiência vai continuar.   Eu sempre estarei com você.   Pelo menos minha lembrança será a de um homem digno que foi leal ao seu país.

O povo deve defender-se, mas não sacrifício.   As pessoas não devem deixar-se ser destruídos ou crivado de balas, mas também não pode humilhar-se.

Trabalhadores de minha Pátria, tenho fé no Chile e seu destino.   Outros homens superarão este momento cinzento e amargo em que a traição pretende impor-se.   Continue a saber que, mais cedo ou mais tarde, as grandes avenidas através das quais os homens livres passar, para construir uma sociedade melhor.

Viva o Chile!   Viva o povo!   Viva os trabalhadores!

Estas são minhas últimas palavras e tenho certeza de que meu sacrifício não será em vão, tenho a certeza de que, pelo menos, será uma lição moral que castigará a perfídia, a covardia e traição.

 

 

 

Voltar

 

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome