Edição online quinzenal
 
Quarta-feira 24 de Julho de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

UE chega a acordo sobre 14.º pacote de sanções contra a Rússia

21-06-2024 - DN/Lusa

Este pacote expande as medidas apontadas e maximiza as consequências das sanções existentes. Pela primeira vez, inclui o gás natural liquefeito.

Os embaixadores dos 27 países da União Europeia (UE) chegaram esta quinta-feira a acordo sobre o 14.º pacote de sanções contra a Rússia por causa da invasão ao território ucraniano, que "maximiza as consequências" das restrições aprovadas anteriormente.

"Os embaixadores da UE acabaram de chegar a acordo sobre um forte e substancial 14.º pacote de sanções em reação à agressão russa contra a Ucrânia. Este pacote expande as medidas apontadas e maximiza as consequências das sanções existentes, encerrando brechas", escreveu a presidência belga do Conselho da UE na rede social X.

Na mesma rede social, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, saudou o acordo e afirmou que vai "negar ainda mais o acesso da Rússia a tecnologias essenciais, cortar fontes de receita provenientes da energia" e também "atacar a frota sombra de [Vladimir] Putin e a rede bancária oculta no estrangeiro". 

O pacote restritivo inclui pela primeira vez o gás natural liquefeito (GNL). 

Fonte europeia adiantou à Lusa que os detalhes em concreto serão divulgados na próxima semana e o pacote de sanções vai incluir mais 100 pessoas e organizações, 'atacar' as importações e investimento em GNL russo. Em simultâneo, também vai atentar contra interferências às instituições democráticas europeias que dificultam a implementação das novas regras relativas ao financiamento da Rússia.

No início de maio, fonte europeia disse à Lusa que o 14.º pacote de sanções é "bastante substantivo" e incluía o "setor do gás natural liquefeito, medidas setoriais relativas à Bielorrússia e à 'frota sombra' [navios utilizados usados para transportar mercadorias violando anteriores sanções]".

A UE tem vindo a reduzir as importações de gás russo (que chega por gasoduto), passando de uma dependência de 40% em 2021 para 8% em 2023, mas as importações de GNL da Rússia têm vindo a aumentar, num importante setor para a economia do país que gera quase oito mil milhões de euros anuais.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de fevereiro de 2022, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Fonte: DN.pt

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome