Edição online semanal
 
Terça-feira 25 de Setembro de 2018  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Institutos de oncologia são alvo de dezenas de queixas por demora na prestação de cuidados

16-02-2018 - Sapo24

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) emitiu recomendações aos três institutos de oncologia Francisco Gentil em Lisboa, Porto e Coimbra na sequência de queixas recebidas em 2016 e 2017. O regulador recebeu mais de 70 queixas por atrasos na prestação de cuidados de saúde.

O regulador recebeu em 2016 e 2017 mais de 40 reclamações visando o Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, 16 relativas ao Instituto Português de Oncologia de Coimbra Francisco Gentil e 19 que visam o Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil.

Os utentes queixam-se de demoras na prestação de cuidados de saúde.

A ERS recebeu mais de 41 reclamações sobre os serviços prestados no Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil. Dezenas de utentes relataram "constrangimentos no acesso a cuidados de saúde" devido a "demora no acesso aos processos clínicos, problemas nos transportes, dificuldades no acesso a tratamentos por problemas nos serviços de farmácia, demora no acesso ao serviço de urgência/atendimento não programado e falhas na marcação de consultas/ exames por avarias no sistema informático", pode ler-se na nota publicada pelo regulador na segunda-feira.

Na sequência do inquérito — que teve início depois se sete utentes terem apresentado reclamações visando o Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil — a ERS deixou recomendações "com o intuito de evitar que situações como as dos autos voltem a ocorrer". Constata o regulador que o Instituto Português de Oncologia de Lisboa "diligenciou pela adoção de medidas corretivas".

Na sequência destas queixas, a entidade reguladora procurou saber se o problema era extensível aos institutos de oncologia de Coimbra e Porto, tendo apurado que "a existência de dezasseis reclamações" relativas ao instituto de Coimbra, que também incorreu em medidas corretivas.

Neste caso, os utentes reclamam "problemas nos transportes, dificuldades e atrasos nos serviços de farmácia, marcações de consultas/exames/tratamentos em bloco e por dois turnos e falhas na marcação de consultas/exames".

Já o Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil foi alvo de dezanove queixas por "dificuldades e atrasos nos serviços de farmácia, falhas na marcação de consultas/ exames e atrasos na receção de resultados de exames ou relatórios clínicos"

Todavia, constatou-se que este instituto "não apresentou quaisquer medidas tendentes a minimizar ou a colmatar as falhas detetadas, no sentido de prestar aos utentes os cuidados de saúde necessários e com a qualidade a que estes têm direito".

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome