Edição online semanal
 
Quarta-feira 12 de Agosto de 2020  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Terramoto político na Alemanha. Presidente regional eleito com apoio da extrema-direita e CDU de Merkel

07-02-2020 - Lusa

"Dia triste para a democracia", já se fala na Alemanha. Democratas-cristãos e liberais viram-se a votar ao lado da extrema-direita Alternativa para a Alemanha, Afd, para eleger Thomas Kemmerich chefe do Governo da Turíngia, estado do Leste da Alemanha.

A escolha provocou protestos e manifestações espontâneas  em Berlim, frente à sede da CDU e do FDP, mas também na Saxónia e frente ao Parlamento da Turíngia.

"É a primeira vez na história da República Federal da Alemanha que um presidente regional é eleito com os votos da AfD" , comentou à Agência France Presse o cientista político alemão Andre Brodocz.

Thomas Kemmerich, de 54 anos e candidato do pequeno partido liberal do FDP, foi eleito de forma surpreendente com a vantagem de um único voto,  pelo seu partido, com o apoio da estrutura regional da CDU de Angela Merkel.

À última hora, a Alternativa para a Alemanha, Afd, um partido de extrema-direita, votou igualmente por Kemmerich, roubando a liderança ao Die Linke, da estrema esquerda.

De imediato, a liderança nacional da CDU condenou a posição do partido no campo regional, uma vez que quebra a regra até agora estabelecida de qualquer trabalho alinhado com a extrema direita.

Face ao resultado, a CDU de Merkel exigiu novas eleições na Turíngia,  região da antiga RDA, onde a esquerda radical do Die Linke se destacou durante a eleição em outubro, à frente da extrema direita.

A vitória foi insuficiente para o presidente do Die Linke, Bodo Ramelow, formar Governo, mesmo aliado ao Partido dos Verdes e aos social-democratas.

Apesar disso,  Bodo Ramelow esperava ser eleito presidente do Governo regional da Turíngia. A votação-surpresa da Afd roubou-lhe o cargo por um simples voto.

Flores ao chão

Thomas Kemmerich,  líder de um partido que conseguiu à justa ultrapassar os cinco por cento dos votos que permitem representação parlamentar , tinha já o apoio da CDU.

Só que não teria sido eleito sem o apoio da Afd.  Esta reivindica a responsabilidade pela escolha, afirmando que convenceu Kemmerich a candidatar-se ao cargo.

Despeitada pelo resultado, a presidente do Parlamento regional atirou aos pés de Kemmerich o ramo de flores que deveria entregar ao novo chefe de Governo.

No seu discurso de aceitação, Thomas Kemmerich prometeu nunca se aliar à extrema direita, garantia acolhida sob uma chuva de sarcasmos.

O líder da CDU na Turíngia,  Mike Mohring, negou que a votação se assemelhe a uma coligação com o partido fascista. A CDU "Não é responsável pelo comportamento eleitoral de outros partidos", declarou.

Já  o co-líder da Adf, Alexander Gauland, celebrou o resultado, como um sinal de que "a exclusão da Afd já não é uma opção".

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome