Edição online semanal
 
Quarta-feira 29 de Setembro de 2021  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

“COSTA QUER ENCONTRAR UM SUCESSOR QUE SEJA QUALQUER UM MENOS PEDRO NUNO SANTOS”
A Mariana Vieira da Silva e a Marta Temido são uma anedota do Costa.

03-09-2021 - N.A.

No comentário semanal deste domingo, Luís Marques Mendes centrou a sua análise no 23.º Congresso Nacional do PS, que se realizou neste fim-de-semana em Portimão, no Algarve.

No seguimento do Congresso socialista, Marques Mendes destacou a questão da sucessão de António Costa, actual secretário-geral do partido.

A seu ver, no Congresso, “ninguém queria discutir a sucessão. Mas colocaram no palco do Congresso uma bancada com os quatro potenciais sucessores de António Costa”.

Para Marques Mendes,  Pedro Nuno Santos , actual Ministro das Infra-estruturas, há muito é tido como candidato à sucessão de António Costa, sendo que de vez em quando juntam-se mais nomes.

“Foi Fernando Medina primeiro, depois Ana Catarina Mendes, a seguir Mariana Vieira da Silva e este fim de semana o primeiro-ministro lançou o nome de Marta Temido”, destacou.

Assim, o comentador considera que esta atitude de Costa parece representar uma “armadilha” para o Ministro das Infra-estruturas.

“A verdade é que, goste-se ou não se goste de Pedro Nuno Santos, tudo isto, visto de fora, em termos analíticos, parece uma  coligação negativa contra o ministro . Fica a ideia de António Costa anda à procura de um adversário. António Costa quer encontrar um sucessor que seja qualquer um menos Pedro Nuno Santos”, frisa.

Por outro lado, o antigo líder do PSD realçou que Costa “deve estar arrependido ou vai arrepender-se” da forma como criou um tabu na entrevista  publicada na semana passada pelo Expresso, pois não deixou claro se irá procurar manter-se à frente do PS e liderar os socialistas nas próximas eleições legislativas em 2023.

Um outro ponto a destacar no âmbito do Congresso socialista, refere Marques Mendes, foi  o discurso e à adesão de Marta Temido ao PS , já que a ministra da Saúde “teve uma estreia em grande”, em sintonia com a sua imagem junto dos portugueses.

Durante o seu comentário, Marques Mendes abriu ainda espaço para tecer críticas ao Executivo de António Costa, acusando-o de deixar Portugal numa “situação anómala, insólita, inédita, irregular e ilegal” por nos últimos dois anos nunca ter elaborado os  decretos-lei de execução orçamental  que é legalmente obrigatório a aprovar, no prazo de 20 dias úteis após a entrada em vigor do Orçamento do Estado.

Relativamente às  autárquicas , que se realizam a 26 de Setembro, Marques Mendes relembra que o PS continua a ser o partido com mais força a nível local – “o PS tem grande vantagem”.

Ainda assim, Mendes refere que os sociais-democratas levam consigo a vantagem de recuperar três ou quatro Câmaras e de reduzir a diferença para o partido líder.

O comentador político frisou ainda que será mesmo a tempo das eleições – se tudo correr como previsto – que  Portugal atingirá a percentagem de vacinados de 85% , a meta da  Task Force  para o país atingir a imunidade de grupo.

Fonte: Zap

O titulo é do N.A.

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome