Edição online semanal
 
Terça-feira 9 de Março de 2021  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Família Espírito Santo investigada por esquema financeiro de 10 milhões de euros

19-02-2021 - ECO

Esquema financeiro da Tranquilidade e Europ Assistance terá pago, entre 2004 e 2012, 10 milhões de euros a cinco membros do Conselho Superior do Grupo Espírito Santo.

O Ministério Público abriu um novo inquérito contra a família Espírito Santo, desta vez para investigar um esquema financeiro suspeito de duas seguradoras, a Tranquilidade e a Europ Assistance, do Grupo Espírito Santo (GES) que pagou, entre 2004 e 2012, 10 milhões de euros a Ricardo Salgado, António Ricciardi, Manuel Fernando Espírito Santo, Mário Mosqueira do Amaral e José Manuel Espírito Santo (membros do Conselho Superior do GES), avança o Correio da Manhã esta segunda-feira. Em causa estão os crimes de suspeitas de fraude fiscal, abuso de confiança, burla qualificada e falsificação.

“Pelo menos desde 2004 e durante cerca de oito anos, Augusto Tomé Pedroso e Pedro Beauvillain de Brito e Cunha, membros do conselho de administração da Companhia de Seguros Tranquilidade, gizaram e puseram em execução o seguinte esquema financeiro: inflacionaram custos de resseguro da Companhia de Seguros Europ Assistance (sua fornecedora e subsidiária), sendo os respetivos montantes canalizados através de um outro ressegurador desta última [seguradora] para pagamento aos membros do Conselho Superior do GES”, lê-se no despacho, citado pelo jornal. Também Manrico Iachia e Carlos Beirão da Veiga, presidente e membro da Europ Assistance, terão participado no esquema em causa. A investigação quer ainda perceber se estes intervenientes receberam alguma comissão pelo seu envolvimento.

A procuradora pediu para aceder a documentos apreendidos na Suíça “para a demonstração do circuito financeiro das verbas que, desviadas das seguradoras sedeadas em Portugal, percorre diversas jurisdições, incluindo paraísos fiscais, até integrar o património dos ordenadores dessas transferências”.

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome